30 de outubro de 2010

Com direito a um gol relâmpago, Vitória bate o Vasco e deixa o Z-4


Time carioca, que ainda sonhava com Libertadores, vê sua chance de disputar o torneio continental praticamente acabar..

Prass ainda poderia se redimir do lance na primeira etapa. Mas não era do dia dele. Depois de salvar uma bola em cima da linha, viu ela ir na direção de Neto Coruja. O volante cabeceou para o fundo do gol e fez o terceiro. Vasco volta melhor, mas “Diabo Louro” acaba com reação
O Vasco voltou para a segunda etapa com uma modificação na equipe (Rômulo no lugar de Fellipe Bastos) e uma mudança na postura. Mais ligado, o time dominou os primeiros minutos. Pelo lado direito, Fagner era a melhor opção cruzmaltina. Foi dele que saiu o passe para Rômulo chutar colocado e obrigar Viáfara a fazer boa defesa. Também foi do lateral que saiu o cruzamento para Nunes cabecear e diminuir o placar, aos 3.
O Gigante da Colina parecia que tinha voltado com tudo para buscar o empate. Logo após o gol, Fagner – sempre ele – cruzou para a área, mas Zé Roberto passou da bola e tentou acertar de letra. Sem sucesso.
A torcida do Vitória, que cantava sem parar no primeiro tempo, pareceu sentir o golpe. Mas o time rubro-negro não. Elkeson deu bom passe para Junior dentro da área. O "Diabo Louro" girou em cima de Jadson Viera e fez o quarto do Leão. Foi um balde de água fria na reação vascaína.
Já sem o mesmo ímpeto do incío, o Vasco ainda tentou chegar ao gol. Teve uma boa chance com Zé Roberto, mas Viáfara impediu. Mesmo com a equipe carioca tendo a posse de bola por mais tempo, foi o Vitória quem esteve mais perto de marcar. Thiago Martinelli cabeceou livre após um escanteio. Para sorte de Prass, a bola foi para fora.

 

Vasco dorme no primeiro tempo e é goleado pelo Vitória: 4 x 2

Time carioca, que ainda mirava Libertadores, praticamente fica sem chance de vaga..
Com direito a gol relâmpago, o Vitória bateu o Vasco por 4 a 1 e deixou a zona de rebaixamento do Brasileiro. Bem postado taticamente, o time baiano fez três gols na primeira etapa, quando a equipe carioca parecia anestesiada pelo calor de Salvador. Adaílton, Elkeson, Neto Coruja e Junior marcaram para o time da casa. Nunes e Fumagalli descontaram.
Com o resultado, o Leão foi a 37 pontos e está em 14º. O Vasco segue com 42 pontos, duas posições acima do rubro-negro baiano. A derrota praticamente sepultou o sonho vascaíno de chegar a Libertadores. Só uma combinação improvável de resultados poderia colocar a equipe de novo na briga por um lugar no torneio continental.
A atuação do Vitória na partida que marcou o 500º jogo na história do Barradão foi tão boa que Lopes, conhecido por passar toda a partida gritando, ficou quase o tempo todo sem dar um berro sequer.
As duas equipes voltam a campo no meio da próxima semana. Na quarta, o Vitória encara o Santos, na Vila Belmiro. No dia seguinte, o Vasco recebe o Grêmio Prudente em São Januário.
Vitória deita e rola no primeiro tempo
A estratégia do Vasco era clara e, de certa forma, óbiva. O time entrou em campo com a instrução de tocar a bola e fazer o tempo passar nos primeiros minutos de jogo. A intenção era explorar o nervosismo da equipe baiana que precisava da vitória para deixar a zona de rebaixamento. Mas toda essa tática não durou nem um minuto.


Sob forte pressão, Vitória recebe o Vasco e tenta manter tabu em casa


 

No Barradão, equipe carioca nunca venceu a equipe baiana, que está na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

De um lado, o desespero do Vitória para tentar fugir do rebaixamento, e, de outro, o Vasco já sem muitas aspirações no Campeonato Brasileiro. Neste sábado, às 16h (de Brasília - 15h local), os torcedores baianos prometem fazer do Barradão um verdadeiro caldeirão para empurrar a equipe, que está em 17º lugar com 34 pontos. O time carioca, na 12ª posição com 42 pontos, espera vencer para quebrar o tabu de nunca ter vencido na casa do Leão.
Um resultado positivo é encarado pelo Vitória como uma obrigação. O clube fez promoção de ingressos para chamar os torcedores, que andam e irritados e já fizeram cobranças diretas ao time. O Leão tem dois personagens que os vascaínos conhecem muito bem: o técnico Antônio Lopes e o meia Ramon, multicampeões na Colina.
A TV Globo transmite a partida ao vivo para os estados do RJ, ES, SE, AL, PB, RN, PI, PA, AM, AC, RO, RR, AP, DF, BA (exceto Salvador) e as cidades de Porto Alegre/RS, Juiz de Fora/MG, Balsas/MA. O canal Premiere transmite para o todo do Brasil. O GLOBOESPORTE.COM acompanha todas as emoções em Tempo Real, com vídeos. A arbitragem ficará a cargo do trio paulista comandado por Wilson Luiz Seneme (Fifa)), que será auxiliado por Herman Brumel Vani e Danilo Ricardo Simon Manis.

Vasco enfrenta o Vitória para quebrar tabu na Bahia


Time cruz-maltino nunca venceu Vitória no Barradão. Time baiano busca triunfo para sair da degola...

O Vasco enfrenta o Vitória, neste sábado, às 16h, a fim de quebrar um tabu: nuca ter vencido no Barradão.  Enquanto o time de São Januário não tem muitas pretensões neste Brasileiro, a equipe baiana busca o triunfo para sair da zona de rebaixamento.
Para esta partida, o técnico Paulo César Gusmão ainda tem dúvida quanto à escalação e Fellipe Bastos e Nunes brigam por uma vaga na equipe. Com Fellipe Bastos no time titular, o ataque será formado por Zé Roberto e Eder Luis. Mas o técnico pode optar ainda pelo centroavante Nunes, que faria dupla com Eder Luis. Assim, Zé Roberto seria recuado para o meio de campo e jogaria ao lado de Felipe. O treinador não descartou também a utilização do volante Rômulo.
O time não vai fugir muito do que todos já conhecem. Temos o Nunes ou o Fellipe Bastos, além do Rômulo, que também voltou bem - disse.Além do Vitória, o Vasco terá um outro adversário difícil: o calor. Como a região Nordeste não aderi ao horário de verão, o jogo será às 15h. Para o lateral Fagner, esse será mais um fator complicador na partida deste sábado.
- Vamos ter um jogo complicado, porque o sol deve estar muito forte no horário da partida e também pelo fato de o adversário estar brigando contra o rebaixamento. Todos estes fatores tornam o jogo muito complicado e temos que ter atenção durante todo o jogo – comentou.
O técnico Antônio Lopes ainda não definiu o time do Vitória que encara o Vasco. O que pôde ser visto durante a semana de treinos foi que Egídio voltou a ser usado na lateral esquerda, o que, porém, não o garante como titular. Rafael Cruz, dono da posição nos dois últimos jogos, pode se manter com a camisa 6.

No ataque, os torcedores do Leão baiano puderam ver uma mudança nos treinamentos. Lopes testou Henrique no lugar de Adailton, mas o segundo deve seguir entre os 11. O atacante Kleber Pereira, com cansaço muscular, ficou no departamento médico, foi submetido a exame de imagem, mas o mesmo nada apontou. No entanto, o jogador não deve ficar nem na reserva.
Lutando contra o rebaixamento, Lopes admitiu que encarar o Vasco, agora,  não era o ideal. E o delegado, profissional que colecionou títulos pelo clube cruzmaltino durante a carreira, explicou o motivo.

- O Vasco vem bem no campeonato e tem jogadores de categoria do meio para a frente. Preferiria que não fosse o Vasco - disse.

Vasco enfrenta Vitória em dia de duelo entre 'Maestros'

O Vasco visita o Vitória neste sábado, às 16h (de Brasília), no Estádio Barradão, em Salvador (BA), em confronto válido que vai marcar a 500ª partida oficial disputada no estádio baiano. O Rubro-Negro, mais do que nunca, vai precisar que o local se transforme em um verdadeiro caldeirão, pois vem de derrota de 1 a 0 para o Botafogo e, com 34 pontos, se encontra na zona de rebaixamento.
» Compre aqui sua camisa AntirRacismo!» Supervasco no Orkut» Siga o Supervasco no Twitter» Receba as notícias do Vasco diariamente no seu celular. Saiba como!
Já o Cruzmaltino, que no fim de semana passado ficou no empate por 1 a 1 com o Flamengo, tem 42 pontos e pretende seguir na luta por uma vaga na próxima Copa Libertadores. No primeiro turno, as duas equipes se enfrentaram no Rio de Janeiro, com triunfo vascaíno por 1 a 0.
Paulo César Gusmão, técnico do Vasco, não vem trabalhando com seus jogadores a ideia de que a vaga na próxima Copa Libertadores é importante. Muito pelo contrário. O treinador prefere deixar de lado o torneio continental e se concentrar somente no rival deste sábado.
"Nós não podemos ficar pensando em uma sequência de vitórias se não conquistarmos a primeira delas. Não podemos ficar projetando uma pontuação se não somarmos os pontos no próximo compromisso. Estamos a sete confrontos do término do Campeonato Brasileiro e por isso mesmo prefiro pensar em um compromisso de cada vez. No fim saberemos o que vamos conseguir", disse o treinador.
O treinador alertou seus jogadores sobre a necessidade de o time manter a concentração ao longo dos 90 minutos para não ser surpreendido pelos baianos, que deverão pressionar pela necessidade de vitória. O discurso do treinador foi assimilado pelo grupo.
"Nós teremos uma partida muito equilibrada e complicada, pois o Vitória precisa muito do resultado positivo e, jogando em casa, terá que nos pressionar. Vamos precisar ter o máximo de concentração para não errarmos e sermos surpreendidos", explicou o volante Rafael Carioca.
O fato de o Vitória estar na zona de rebaixamento não foi esquecido pelos jogadores vascaínos, que sabem que a pressão na Bahia será grande. Porém, o grupo procurou minimizar a posição do rival na tabela de classificação ao analisar possíveis facilidades no Barradão.
"Nós respeitamos muito o time do Vitória e não nos iludimos pela posição do time deles na tabela de classificação. Trata-se de um compromisso muito complicado, pois é fora de casa e neste Campeonato Brasileiro não existe jogo fácil", analisou o goleiro Fernando Prass.
Para este compromisso, Paulo César Gusmão confirmou que Jadson Vieira ocupará a vaga do zagueiro Dedé, suspenso por ter sido expulso contra o Flamengo. No meio-campo, o volante Jumar, que retorna de suspensão, ganha a vaga de Rômulo.

27 de outubro de 2010

Saiba mais sobre a carreira de Rodrigo Caetano como jogador

Como foi seu começo no futebol? Iniciou cedo?
Cheguei ao Grêmio com apenas dez anos e passei por todas as categorias de base do clube. Em 1989, tive as primeiras oportunidades no time principal, com o Evaristo de Macedo. Eu costumava jogar de meia-esquerda.
E por qual motivo não vingou no clube gaúcho?
As pessoas apostavam muito em mim. Cheguei a ser titular, mas o clube passava por uma situação complicada. Pouco tempo depois que subi, fui negociado. Isso me deixou frustrado.
Você jogou ao lado de Rivaldo, por exemplo. Como foi acompanhar o crescimento desse jogador e ter ficado para trás?
Sinceramente, demorei para acordar da frustração de não ter conseguido sucesso no clube que passei grande parte da minha vida. Quando acordei, já era tarde. O Rivaldo, logo depois do Mogi, foi para o Corinthians, o Valber e o Leto saíram e eu só acertava com clubes de menor expressão.
E qual foi seu melhor momento como jogador?
Pelo Juventude tive um grande momento. Fiz muitos gols e até assinei pré-contrato com o Compostela. Mas, em um jogo contra o Internacional, me lesionei e tive que ficar afastado. Ou seja, foi um bom momento e outro ruim.
"Melhor dirigente do que jogador"
Leto, ex-companheiro de Rodrigo Caetano no Mogi Mirim (SP)
Lembro de ter jogado com o Rodrigo no Mogi Mirim (SP), mas era difícil ele se manter titular, pois tínhamos o Valber e o Rivaldo. Ele batia bem na bola e tinha habilidade com a esquerda. Fora de campo, sempre foi organizado.
Lembro que deixava as coisas todas arrumadas e ficava p... quando fazíamos bagunça. Ele usa isso agora. Não vou dizer que não era bom, mas posso dizer que é melhor dirigente do que jogador.
Primeiro técnico é apenas elogios
O primeiro técnico de Rodrigo Caetano foi o experiente Evaristo de Macedo. O comandante, que treinou o hoje dirigente quando ele estava subindo das categorias de base do Grêmio, entre 1989 e 1990, fez questão de exaltar a personalidade forte apresentada pelo jovem Rodrigo.
– Lembro-me que, mesmo treinando entre os profissionais, ele não se encolhia, não se intimidava. Era um rapaz que já tinha uma personalidade forte – garantiu.
Evaristo lembrou ainda que Rodrigo tinha qualidade e era uma das apostas da base do Tricolor gaúcho.
– Ele participou de alguns treinamentos comigo, mas conseguimos perceber que tinha qualidade e poderia ser um bom jogador – concluiu.
(Matéria reproduzida diretamente da versão papel do Jornal Lance)

Empresário diz que Rodrigo Caetano renovou por 2 anos

Segundo empresário, Rodrigo Caetano já "ficou" no Vasco 
De acordo com informações  do empresário e especialista em marketing esportivo Marcio Fallah, Rodrigo Caetano assinou nesta noite novo contrato com o Vasco com duração de 2 anos.
O agente publicou a informação em seu Twitter (@MarcioFallah).
''Atenção: O Rodrigo Caetano acabou de assinar o novo contrato com duração de 2 anos com o Vasco.'' - postou. Para conferir a nota original, clique aqui.
O site Supervasco entrou em contato com Rodrigo Caetano, porém até o fechamento desta matéria não obtivemos retorno.
Por Pedro Maranhão (twitter: @reportercolina) e Jessica Corais (twitter: @jessicacorais).
Uma das principais negociações em andamento no Vasco atualmente e assediado por clubes como Fluminense e Grêmio, Rodrigo Caetano ganhou notoriedade como diretor executivo de futebol após bom trabalho na Colina. Mas, há alguns anos, a situação era bem diferente. O jogador Rodrigo passava longe dos holofotes.
Canhoto, de bom arremate, organizado e “cheio de não me toque”. São as características apontadas por alguns de seus ex-companheiros. Rodrigo iniciou a carreira no Grêmio e chegou a ser considerado uma das joias da base, mas não vingou e foi negociado cedo com oMogi Mirim, pelo qual jogou ao lado de Rivaldo, Leto e Valber.
– Ele era habilidoso, tocava a bola rapidamente... Era cheio de não me toque (risos), buscava evitar contato.
Com inteligência, conseguia se livrar dos zagueiros e tinha um bom passe – lembrou o ex-atacante Leto.
Após passagem pelo Mogi, Rodrigo ainda jogou em clubes de menor expressão e teve seu melhor momento em 1996, no Juventude.
Com boas atuações, ele chegou até a assinar um pré-contrato com o Compostela, da Espanha. Mas, uma lesão o deixou afastado dos gramados por cerca de um ano e o acordo foi cancelado.
Segundo Caetano, seu sucesso como dirigente ajudou a apagar as frustrações dos tempos de jogador.
Perguntado se contrataria o meia Rodrigo, ele brincou.
– De repente contrataria para o sub-23 primeiro (risos). Mas eu não fazia feio, não. Não consegui a fama de outros jogadores, mas tive meus momentos – afirmou.

25 de outubro de 2010

DESABAFO DE UM VASCAINO.

MANOS VASCAINOS, NÃO ADIANTA, NUNCA MAIS O VASCO IRÁ GANHAR DO FLAMENGO. ISSO É FATO CONSUMADO. NEM COM ESSE FRACO TIME DELES , NÓS FOMOS CAPAZES DE GANHAR POR 1 X 0, QUE VERGONHA SABIA…
FICO ME QUESTIONANDO, TALVEZ UM DIA , UM TIME DO VASCO ONDE ESTIVER JOGANDO JOGADORES QUE SEJAM VASCAINOS DE CORAÇÃO MESMO EM CAMPO, PODEREI CRER NESSE PRÓSPERO MILAGRE DE GANHAR DO FLAMENGO, PQ CASO CONTRÁRIO ( EU,VASCAINO DE CORAÇÃO, SINCERAMENTE NÃO ACREDITO MAIS) TO FALANDO SÉRIO NA BOA MESMO. NÃO TÊM JOGADORES NESSE GRUPO PRA ISSO INFELIZMENTE.
NEM COM ESSES JOGADORES QUE AI ESTÃO EU ACREDITO QUE POSSA GANHAR UM SIMPLES CARIOCA ANO QUE VEM, SABE O QUE PARECE? PARECE UM TIME QUE GANHA 1 , 2 E ACHA QUE JÁ ESTÁ ABAFANDO E DAI COMEÇA AS CAÍDAS EM CAMPO. ESSE TIME NÃO TEM, ALIÁS, NÃO TRANSMITE RAÇA, VONTADE DE ESTAR NUMA LIBERTADORES (NEM ISSO), E NÃO FAZ ESFORÇO PARA GANHAR CLÁSSICO, COISA, QUE HÁ MUITO TEMPO NÃO ACONTECE, É SÓ EMPATES E EMPATES, BASTA NÉ!
OUTRA COISA, NÃO TEMOS AINDA UM ÓTIMO TÉCNICO INFELIZMENTE TB! TEMOS UM TÉCNICO SUPER ESTRESSADO QUE CONSEGUE SER EXPULSO POR 2 VEZES QUASE QUE SEGUIDAMENTE E QUE SÓ FALTA TER UM ENFARTE , TODOS NÓS SABEMOS QUE NÃO É BEM ASSIM QUE AS COISAS FUNCIONAM, ISSO SÓ FAZ TRANSMITIR COISA RUIM AOS JOGADORES EM CAMPO, E É AINDA POR CIMA RETRANQUEIRO/ MEDROSO OU SEI LÁ O QUE, QUANDO POR EXEMPLO ESTAMOS GANHANDO NUM TEMPO DA PARTIDA ÁS VEZES TRANQUILAMENTE E ELE CONSEGUE FAZER O TIME RECUAR E PARAR DE CRESCER E TIPO ,MATAR LOGO A PARTIDA., É UMA PENA………………..
TUDO QUE DISSE AQUI É SUPER ´SERIO, E OS ANOS ESTÃO PASSANDO, E O VASCO? NADA…………NADA E NADA………………
NOSSO PRESIDENTE PRECISA REVER CERTAS COISAS QUE SÃO IMPORTANTES SIM E COMPRAR MAIS 2 OU 3 JOGADORES ONDE TENHAMOS UM ATACANTE DE NOME E DE REFERÊNCIA, SENÃO, NÃO VAI ADIANTAR NADA PARA O ANO QUE VEM! TODOS SABEMOS DISSO. E DENOVO E DENOVO E E DENOVO SEM GANHAR NADA,NEM CLÁSSICOS , NEM UM CAMPEONATUZINHU ,POW, NOSSA, COMO SE SUPERA ESSE NOSSO VASCO HEIN POW RSRS.
PC Gusmão acha empate um bom resultado
Técnico exalta capacidade do time seguram resultado com um jogador a menos”
É ISSO AI PC. EMPATE FOI OTIMO. PARABENS RETRANQUEIRO. POR ISSO ESTAMOS NO MEIO DA TABELA. CARA É IMPRESSIONANTE COMO NÓS NÃO VENCEMOS, NÃO GANHAMOS AS PARTIDAS.
++++++++++++++++++++++++++
TEM QUE LEMBRAR O PC QUE O SEGUNDO TURNO ESTA SENDO PIOR QUE O PRIMEIRO TURNO. OS PONTOS QUE FIZEMOS NO SEGUNDO TURNO, ESTAMOS NA ZONA DE REBAIXAMENTO, ENTÃO ELE TEM QUE CALAR A BOCA E PARAR DE FALAR QUE O MILÉSIMO EMPATE FOI BOM. PREFIRO PERDER 2 E GANHAR 1, DO QUE EMPATAR 3.
PENSA NISSO RETRANQUEIRO. E OUTRA, CARLOS ALBERTO, NUNES, RAFAEL COELHO, RAMON, ERNANE, FUMAGALLI, TITI, FERNANDO E CIA VÃO TUDO PRA PQP.

A ROTINA VOLTOU....!

…mas, infelizmente, foi a rotina de fazer a alegria dos adversários ao ceder o empate após abrir o placar. No empate em 1 a 1 com a Mulambada, o Vasco mais uma vez jogou apenas meia partida, resolveu usar apenas metade do campo no segundo tempo e com o resultado manteve-se no meio da tabela.
COMPLICADO,
INCOMPETÊNCIA DE UNS, MEDO DE GANHAR DE OUTRO, E AGORA ADMITE-SE NÃO IR A LIBERTADORES, FALTANDO VÁRIAS RODADAS, É BRINCADEIRA NÉ.
ISSO É VASCO, ENTÃO PEDE PRA SAIR CARALHO VAI JOGAR NA PQP NO VASCO NÃO PORRA, DESISTIR ANTES MESMO DE TENTAR, FAZ O SEGUINTE, TIRA A CAMISA E VAI PRO CARALHO, NO VASCO TEM QUE JOGAR ATÉ O FIM, ESSES CARAS NÃO TEM O ESPIRITO DE VENCEDOR QUE O VASCO MERECE, INFELIZMENTE !!!
É FODA UM TIME QUE JOGA 1 TEMPO METE UM GOL E VOLTA MARCANDO DA LINHA DO MEIO PRA TRÁS, TÁ DE SACANAGEM NÉ, O NUNES, NÃO VOU NEM FALAR, O DEDÉ FOI DESLEAL, PROPOSITAL OU NÃO PREJUDICOU (NÃO QUE A MULAMBADA NÃO MEREÇA) E É SEMPRE ASSIM ARRUMAMOS DESCULPAS E ACEITAMOS ELAS SEMPRE, FORAM 7 JOGOS TOMANDO GOLS NOS ÚLTIMOS 10 MINUTOS E AI? EU É QUE VOU TER QUE IR EM SÃO JANÚ COBRAR DOS CARAS ? BEM QUE EU IRIA MESMO , PORQUE O VASCO É MUITO MAIS QUE ESSES MERDA SEM SANGUE JOGADOR DE EMPRESÁRIO CHINELINHO QUE ESTÃO VESTINDO ESTA NOBRE CAMISA!!! PRA FECHAR MULAMBOS VÃO TOMAR NO CÚ
BOLADÃO + CONFIANTE SEMPRE, FJV ACIMA DE TUDO ABAIXO DO NADA
VASCOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO
  • Sem gols no fim, Vasco estaria a dois pontos do líder Flu
  • Rio – Pela sexta vez neste Campeonato Brasileiro, o Vasco foi vazado nos instantes finais e desperdiçou pontos. O gol marcado por Renato Abreu, aos 35min do segundo tempo, garantiu o empate para o Flamengo, mas também mostrou um velho filme de terror para os vascaínos nesta edição da Série A.
  • Os gols sofridos nos últimos 10 minutos de jogo já tiram 10 pontos do Vasco neste Brasileiro. Atualmente em 12º com 42 pontos, o time de PC Gusmão seria o quarto lugar se tivesse 52. Estaria na quarta posição, com vaga para a Libertadores de 2011 e a dois pontos do líder Fluminense.
  • Em cinco de seis jogos em que sofreu gols no fim o Vasco ainda era o mandante. Foi assim contra Guarani, Atlético-MG, Botafogo, Grêmio e no último domingo o Flamengo. A exceção foi contra o Guarani, em Campinas.
  • PC Gusmão, treinador vascaíno, desta vez preferiu lamentar a arbitragem de Gutemberg de Paula Fonseca e não se disse frustrado por novo gol no fim. “Pelas circuntâncias, foi um bom resultado”, analisou, já que o time teve o zagueiro Dedé expulso.
  • Curiosamente, os times que mais sofreram gols nos minutos finais são Goiás (11 gols), Fluminense e Palmeiras (ambos 10 gols). Nenhum, porém, deixou de somar tantos pontos quanto o Vasco por conta disso.
Todos os gols levados pelo Vasco nos últimos 10 minutos
Avaí 2 x 0 Vasco – sofreu gol aos 45min
Vasco 0 x 1 Guarani – sofreu gol aos 48min
Vasco 1 x 1 Atlético-MG – sofreu gol aos 39min
Vasco 2 x 2 Botafogo – sofreu gol aos 46min
Guarani 1 x 0 Vasco – sofreu gol aos 35min
Vasco 3 x 3 Grêmio – sofreu gol aos 43min
Vasco 1 x 1 Flamengo – sofreu gol aos 35min

Com um a menos e árbitro contra, Vasco empata com o Flamengo no Engenhão

 De voleio, Cesinha põe Vasco na frente.
Jogadores comemoram o gol de Cesinha .
No primeiro Clássico dos Milhões no Engenhão, Vasco e Flamengo acabaram empatando em 1 a 1, neste domingo, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Cesinha e Renato.
                                                                           
Na próxima rodada o Rubro-Negro recebe o Corinthians, nesta quarta-feira, novamente no Engenhão, pela 32ª rodada do Brasileiro. Já o Cruzmaltino encara o Vitória, neste quinta-feira, no Barradão.
Com marcação adiantada, o Vasco começou o clássico melhor que o Flamengo. Logo no primeiro lance do jogo, Fagner arrancou com a bola, passou por dois adversários, mas acabou interceptado por David. Acuado, o Rubro-Negro tentou contra-ataques sem sucesso.
Em outra boa de chegada do Cruzmaltino, aos 9 minutos, Zé Roberto quase marcou o primeiro gol da partida. O apoiador chegou livre pelo lado esquerdo, mas ficou sem ângulo e disparou o chute nas mãos de Marcelo Lomba. A equipe de PC Gusmão dominava o meio de campo e a maioria das jogadas passavam nos pés de Felipe.
A primeira boa jogada tramada pelo Flamengo aconteceu aos 16 minutos. Na saída equivocada de Fernando Prass, Léo Moura aproveitou passou pelo goleiro e cruzou. Livre, Kléberson cabeceou na direção do gol, mas Diogo, bem posicionado, acabou afastando o periogo da área vascaína.
O Rubro-Negro melhorou e passou a jogar mais pelas laterais. Em boa tabela entre Léo Moura e Diego Maurício quase saiu o primeiro tento. O atacante avançou e tocou para Deivid. O camisa 99 rolou para Renato, de primeira, finalizar à esquerda da meta de Fernando Prass.
Quando o Clube da Gávea era melhor na partida, Maldonado errou passe no meio de campo. Zé Roberto foi lançado pela direita e chutou cruzado para o meio da área. Welinton se atrapalhou, chutou em Juan, antes de tocar a bola no travessão. Cesinha, livre, aproveitou o rebote e, com estilo, mandou de voleio para o fundo da rede: 1 a 0.
Renato empata o clássico

24 de outubro de 2010

Com um a menos, Vasco empata com o Flamengo no Engenhão

Vasco fica no 1 a 1 com o Flamengo no Engenhão. Dedé é expulso por agressão..

Após primeiro Clássico dos Milhões no Engenhão, rubro-negros ainda brigam para não cair, e vascaínos não se aproximam da briga pelo G-4


Fim de jogo no Engenhão: Vasco 1 x 1 Flamengo. Gols de Cesinha e Renato Abreu.
Mais informações em instantes.
Na primeira vez em que Vasco e Flamengo disputaram o Clássico dos Milhões no Engenhão,  neste domingo, não houve vitória. A equipe vascaína, superior no primeiro tempo, fez 1 a 0, com Cesinha, mas não soube manter a vantagem na segunda etapa, principalmente após a expulsão do zagueiro Dedé, aos 19 minutos, punido pela dura dividida com Willians. Renato empatou de cabeça para os rubro-negros, e os dois times seguem no Brasileirão sem mudar a situação atual.
Em 12º lugar, com 42 pontos, o Vasco continua longe da briga por uma vaga no G-4. O Flamengo, em 13º, com 38, não consegue se afastar com boa margem de pontos dos clubes que ainda lutam contra o rebaixamento. Agora, o jeito é investir na 32ª rodada. Mas as partidas prometem ser difíceis. O Rubro-Negro receberá o Corinthians nesta quarta-feira. A equipe cruzmaltina encara o Vitória em Salvador. no Barradão, no próximo sábado.

17 de outubro de 2010

Atlético-GO bate o Vasco e deixa zona da degola

Felipe teve atuação regular contra o Atlético-GO

Anaílson e o goleiro Márcio marcaram os gols da vitória por 2 a 0 

 

Um Atlético-GO motivado, e um Vasco apático. No fim, após tanto insistir, o Dragão chegou à vitória por 2 a 0, neste domingo, no Serra Dourada, e respira fora da zona do rebaixamento, pelo menos até a próxima rodada. Anaílson, aos 36 minutos do segundo tempo, e o goleiro Márcio, de pênalti, aos 41, marcaram para os goianos, que chegaram ao segundo triunfo seguido. Na última rodada, haviam batido o Corinthians, em São Paulo.
A derrota praticamente acabou com a chance do Cruzmaltino de classificação para a Libertadores. Com o resultado, o Gigante da Colina permanece na 11ª colocação, com 41 pontos.
Já o Dragão, é o 15º, com 32 pontos, posição que garante sua permanência fora da zona do descenso.
No próximo sábado, o Atlético-GO vai a Campinas enfrentar o Guarani. Já o Vasco se prepara para o clássico com o Flamengo, domingo, no Engenhão.

PC fica no hotel e Acácio vai para o banco
Perseguido por lesões em vários de seus titulares (são quatro no departamento médico) o Vasco sofreu mais um desfalque para a partida em Goiânia. Desta vez, foi o técnico Paulo César Gusmão que, com uma virose, não pode comandar a equipe no banco de reservas. Com isso, o auxiliar Acácio ficou responsável pelas orientações à beira do gramado.
O adversário do time da Colina, que ainda não pode contar com o atacante Elias, contundido, vinha embalado pela surpreendente vitória sobre o Corinthians, na última semana, que culminou na demissão do técnico Adílson Batista. Outro resultado positivo em casa, poderia tirar o Dragão da zona do rebaixamento.

Vasco erra muitos passes e Eder perde gol incrível

Com um jogador a menos, Vasco é derrotado pelo Atlético-GO no Serra Dourada: 2 a 0

Carlinhos recebe vermelho e contribui para derrota do time para o Atlético-GO por 2 a 0
Com um jogador a menos nos últimos 30 minutos, o Vasco não teve boa atuação e acabou derrotado pelo Atlético-GO por 2 a 0 (gols de Anaílson e Márcio) neste domingo, no Serra Dourada, interrompendo uma sequência animadora de resultados do time carioca, que permanece com 41 pontos enquanto os goianos sobem para 32. O próximo compromisso do Vasco é o Flamengo, domingo, no Engenhão. O Atlético-GO tem pela frente o Guarani no Brinco de Ouro.
O primeiro tempo foi muito fraco tecnicamente. E, apesar da chuva, o forte calor de 34º C incomodava os jogadores. Sem o técnico PC Gusmão, que teve crise de gastroenterite e foi substituído por Acácio no banco, o Vasco apostou na velocidade de Eder Luis e Zé Roberto pelas pontas. Aos 17 minutos, Felipe soltou a bomba de fora da área, Marcio deu rebote, Zé Roberto errou o chute e a bola sobrou para Eder Luis, que pegou mal e mandou para fora.
Mas essa foi uma das raras chances do Vasco na primeira etapa. O Atlético-GO, por sua vez, errava muitos passes e chegava só na base da trombada. Aos 36, Thiago Feltri bateu com perigo para fora. O jogo só melhorou a partir dos 15 minutos do segundo tempo, quando ambas as equipes se deram conta de que o empate não era bom resultado. E a torcida dos donos da casa vibrou aos 17, quando o vascaíno Carlinhos foi expulso após dar carrinho. O lateral recebeu o segundo cartão amarelo.
Cansado, Zé Roberto deixou o gramado aos 22 para a entrada de Jonathan. O Vasco, além de contar com um jogador a menos, mostrava visível desgaste por ter jogado no meio de semana, diferentemente do rival. E o Atlético-GO quase abriu o placar aos 28, quando Josiel, a um metro do gol, chutou torto em cima de Dedé, perdendo um gol feito.
Mas, aos 36 minutos, não teve jeito. Fernando Prass fez ótima defesa em cabeçada de Josiel, mas Anaílson pegou o rebote e fez 1 a 0. Aos 42, o que era ruim ficou pior. Juninho foi derrubado na área. Pênalti que o goleiro Márcio bateu para fazer 2 a 0 e dar números finais à partida.

14 de outubro de 2010

Com Show do trio, Campeão no Centenário bate Corinthians em São Januário 2 X 0

Equipe carioca é soberana em partida atrasada da 18ª rodada. Corinthians, derrubado, acumula seis jogos sem vencer no Brasileiro.

Éder Luis, Felipe e Zé Roberto comandaram a vitória por 2 a 0

 O Vasco está longe da disputa do título do Brasileirão, mas jogou como se estivesse bem vivo nela. O Corinthians segue na briga pelo caneco do Nacional, porém tem atuado como candidato ao rebaixamento. Na noite desta quarta-feira, em São Januário, em partida atrasada da 18ª rodada, a equipe carioca fez 2 a 0 nos paulistas, cada vez mais em crise. Zé Roberto, impedido, e Eder Luis marcaram.

Na tabela, o triunfo do clube de São Januário não muda muita coisa. Agora com 41 pontos, o time de Paulo César Gusmão pulou para 11ª colocação, aspirando apenas uma vaga na Copa Sul-Americana de 2011. Por outro lado, essa vitória faz diminuir as críticas em relação aos constantes empates. São 14 na competição. Ninguém teve mais igualdades que o Vasco no Campeonato Brasileiro.
O Corinthians, por sua vez, segue na terceira colocação, com 49 pontos. Mas com sensação de estar em posição bem pior. Antes considerado favorito, o clube do Parque São Jorge entrou em declínio nas últimas seis rodadas. Dos 18 pontos disputados, apenas dois conquistados. São dois empates e quatro derrotas. O Timão está a três pontos do vice-líder Fluminense e a cinco do líder Cruzeiro.
Só para constar, com o resultado desta noite, o Corinthians não conquista o título simbólico do primeiro turno. Este ficou nas mãos do Fluminense.
Na próxima rodada, o Vasco tem um compromisso fora de casa. A equipe carioca visita o Atlético-GO, domingo, às 16h, no estádio Serra Dourada, em Goiânia. Já o Corinthians, reforçado por Ronaldo, joga contra o Guarani, no mesmo horário, no estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas.
Baile vascaíno
Só deu Vasco. No primeiro tempo do duelo com o Corinthians, a equipe de São Januário foi soberana. Preocupado demais em proteger a sua defesa, desgastada pelos 14 gols em seis jogos, o Timão especulou muito no início da partida, enquanto o clube carioca aproveitou bem os espaços pelas pontas.

13 de outubro de 2010

Vasco e Corinthians duelam por objetivos distintos

Vasco e Corinthians se enfrentam nesta quarta-feira, às 22h, em São Januário, em jogo válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro, adiado devido às comemorações do centenário do Timão. O time de PC Gusmão quer esquecer o empate com o Grêmio, em casa, e vencer para manter vivo o sonho de chegar à Libertadores. Já i time paulista, conquistar os três pontos significa colar novamente no líder Cruzeiro.
Vasco visa a Libertadores e Corinthians o título
Sem Fagner, o técnico Paulo César Gusmão utilizará o paraguaio Irrazábal na lateral direita. Já na ala esquerda, Ernani perdeu a vaga para o jovem Carlinhos, que retorna aos profissionais. No restante, o time titular é o mesmo do empate que ficou no 3 a 3 com o Tricolor gaúcho.
- Na lateral esquerda, o Carlinhos vem fazendo boas atuações no Brasileiro Sub-23. Vem em uma condições melhor do que aquela que o utilizamos primeiramente, que não deu resultado. Hoje, ele se apresenta melhor. E espero que emocionalmente, ele possa fazer tudo aquilo q vem fazendo no sub-23 - explicou PC Gusmão, que lembrou que, mesmo desfalcado, o Corinthians vai dar trabalho:
- Temos temos muitas ausências. Vi o jogo do último domingo e o Corinthians, com menos dois (o Bruno Cesar ficou em campo até o fim mesmo com dores) teve chance de empatar até o último minuto. O que o Corinthians mostrou dentro de campo, a determinação, é o que fortalece um time e que nos deixa com o sinal de alerta de que vamos enfrentar um grande time. Não existe momento, o melhor momento é quando ganhamos. E espero que possamos vencer.
O Corinthians em crise vai ao Rio de Janeiro enfrentar o Vasco. Após cinco jogos sem vencer, o técnico Adilson Batista deixou o clube. A derrota para o Atlético-GO por 4 a 3, no Pacaembu, na última rodada, foi a gota d'água para os dirigentes do Alvinegro. Ainda sem definição sobre o novo treinador, o Timão será comandado pelo auxiliar Fábio Carille, que assume interinamente o cargo.
- É difícil. A gente tem que ter consciência que tem que melhorar. Não podemos levar os gols que temos levado. Tomamos a virada, é difícil conseguir a reação com um jogador a menos. Agora vamos pra cima do Vasco para tentar vencer - afirmou Chicão, que após um grande período fora da equipe, por lesão, retornou no segundo tempo do jogo contra os goianos.
A partida contra o Vasco é de extrema importância para o Corinthians, que ocupa a terceira posição na tabela, com 49 pontos. Afinal, se conquistar os três pontos, o Timão dependerá só dele para chegar à liderança da competição, pois ficará a dois do Cruzeiro e ainda contará com um confronto direto diante da Raposa, jogando no Pacaembu, no dia 14 de Novembro, pela 35ª rodada do Brasileirão. Mas, se for derrotado, dependerá de tropeços dos seus principais adversários na briga pelo título.

10 de outubro de 2010

Vasco abre vantagem, mas permite o empate do Grêmio no fim


Vasco chega a fazer 3 a 1, mas permite o empate do Grêmio em São Januário: 3 a 3

Treinador lamenta mais um empate e falhas do time no final da partida contra o Grêmio: 'a bola pune, e nos puniu'

 

Após estar vencendo por 3 a 1, time carioca recua e vê o rival gaúcho empatar a partida aos 43 minutos do segundo tempo em São Januário.

Em um jogo muito movimentado e aberto, o Vasco permitiu o empate do Grêmio após ter dois gols de vantagem no segundo tempo. Gabriel, aos 43 minutos da etapa final, deixou tudo igual: 3 a 3, neste sábado, em São Januário, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Éder Luís, Cesinha e Felipe Bastos marcaram para o time carioca. Jonas, duas vezes, tinha feito os outros gols dos gaúchos.
Foi o sétimo empate em casa do Vasco neste Brasileirão. O 14º em 28 jogos no campeonato. Já o Grêmio provou mais uma vez estar em franca ascensão após a chegada de Renato Gaúcho. São sete jogos sem perder. Atualmente está na sétima posição com 43 pontos. O Cruzmaltino segue no grupo intermediário. É o 11º colocado com 38 pontos.
Na próxima quarta-feira, o Vasco enfrenta o Corinthians, em São Januário, em jogo adiado do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. Já o Grêmio só volta a campo no domingo, dia 17, para encarar o Cruzeiro, no Olímpico, em Porto Alegre.

Velha e irritante rotina: Vasco vacila e cede mais um empate em São Januário


Em um jogo muito movimentado e aberto, o Vasco permitiu o empate do Grêmio após ter dois gols de vantagem no segundo tempo. Gabriel, aos 43 minutos do segundo tempo, deixou tudo igual: 3 a 3, neste sábado, em São Januário, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Éder Luís, Cesinha e Felipe Bastos marcaram para o time carioca. Jonas, duas vezes, marcou os outros dois gols dos gaúchos.
Crédito da foto: Site oficial do Vasco.
O Grêmio provou mais uma vez estar em em franca ascensão. São sete jogos sem perder. Atualmente está na sétima posição com 43 pontos. O Vasco segue no grupo intermediário. É o 11º colocado com 38 pontos.
Na próxima quarta-feira, o Vasco enfrenta o Corinthians, em São Januário, em jogo adiado do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. Já o Grêmio só volta a campo no domingo, dia 17, para encarar o Cruzeiro, no Olímpico, em Porto Alegre.
Primeiro tempo muito movimentado
A chuva fina não afastou o público de São Januário, que compareceu de forma razoável em São Januário. O Vasco começou tentando pressionar o Grêmio. Tinha mais a posse de bola e até chegava bem pela direita com Fagner. Mas não assustava. Felipe, que voltava ao time após se recuperar de lesão, estava preso na marcação e era lento na movimentação. E as tentativas nos chutes de fora da área eram lamentáveis. Sem qualquer direção... Enquanto isso, o time gaúcho sabia atacar com perigo. A preocupação dos defensores vascaínos era com Jonas, artilheiro do Brasileirão. Mas foi o meia Lucio quem entrou na área, deixou Cesinha na saudade e chutou rasteiro. A bola bateu na rede pelo lado de fora. Alguns gremistas gritaram gol pensando que a bola havia entrado.
O Vasco parecia depender da inspiração de Eder Luis. E o atacante, em boa fase, resolveu aparecer. Primeiro, fez um giro em cima de Rafael Marques e soltou a bomba de fora da área. A bola explodiu no travessão. No minuto seguinte, Zé Roberto deu um ótimo passe para o jogador, que apareceu livre à frente do goleiro Marcelo Grohe. Um toque sutil foi o suficiente para enganar o camisa 1 e marcar o primeiro gol cruzmaltino. Vasco 1 a 0. Foi o sétimo gol de Eder Luis no Campeonato Brasileiro.
O gol não desanimou o Grêmio, que tocava melhor a bola. Sempre com Douglas, que jogava com liberdade, comandando o time. E após uma triangulação pela direita, Gabriel cruzou e Jonas desviou para o gol antes da chegada de Fernando Prass. O atacante saiu comemorando, mas o árbitro Alício Pena Júnior anulou o lance marcando impedimento.
Para tentar anular o ataque gremista, o Vasco buscava congestionar a intermediária com muitos jogadores. E passou a jogar no contra-ataque explorando principalmente a velocidade de Eder Luis pelo lado esquerdo em cima do lento zagueiro Paulão. Mas era pouco. O Grêmio foi, aos poucos, dominando a partida.
Durante o primeiro tempo, o time carioca perdeu o lateral-direito Fagner, que saiu de campo com um problema muscular na parte posterior da coxa direita. O paraguaio Irrazábal entrou. Aproveitando a mudança, o Grêmio passou a explorar mais o setor. Foi por ali que André Lima recebeu livre e chutou cruzado. Fernando Prass, em grande defesa, evitou o empate.
O jogo era bom. O Vasco tinha lampejos de criatividade. Principalmente quando a bola parava nos pés de Zé Roberto. O meia, mais uma vez, conseguiu deixar Eder Luis na cara do gol. Só que o chute saiu fraco e o goleiro Marcelo Grohe defendeu. Do outro lado, Jonas não quis saber de toquinho. Soltou a bomba da entrada da área após dar um drible de corpo em Rafael Carioca. Fernando Prass se esticou, mas não tinha como defender o chute. Bola na rede. Tudo igual: 1 a 1. Foi o 18º gol do atacante no Brasileirão.

8 de outubro de 2010

Fernando Prass, sobre a renovação: 'Acho que vai ser simples o processo'

A Muralha acha que renovação deve ter processo simples
Duas renovações de contrato vêm tendo repercussão no Vasco ultimamente: A de Rodrigo Caetano, diretor-executivo de futebol e do goleiro Fernando Prass, os dois sendo coincidentemente alvos de assédio do Fluminense.
Em entrevista coletiva, captada pela Super Rádio Brasil, o goleiro explica como faz para se abster das conversas, tentando manter o foco exclusivamente nos jogos:
A renovação de contrato de Fernando Prass vem ultima sendo alvo de notícias e especulações
- Muitas vezes, as pessoas falam que empresário de futebol é ruim, é um mal no futebol, mas eu penso diferente. Em toda profissão, vão ter os maus e os bons profissionais. Se tu tiver uma pessoa honesta, de confiança e que realmente veja o teu lado, mas com bom senso, porque tem que ver o teu lado na renovação, mas tem que ver o lado do clube, eu acho que tem que ter um bom senso, eu acho que é importante, porque se o jogador ficar se preocupando com o adversário, se preocupando em treinar, se preocupando em discutir renovação de contrato com a diretoria, ouvir proposta, fazer contraproposta, é complicado tu manter o foco. Então, nessas situações é bom, porque tu delega poderes para outra pessoa e essa pessoa trata não de tudo, claro, porque tem que ter o teu aval, mas praticamente tudo relacionado a essa “discussão” entre aspas, do contrato e tu fica com a cabeça só para jogar.
Qual o percentual de participação de Fernando Prass nas negociações?
- As decisões finais sempre sou eu que tomo, mas essas discussões, essas reuniões, esse debate entre proposta, contraproposta, tempo de contrato, esses detalhes, a discussão do contrato mesmo, propriamente dito, fica para ele, porque às vezes são reuniões longas e se mexe com números, tem que se fazer uma discussão muito detalhada. Eu claro que não tenho tempo para isso, para ficar pensando nessas coisas. Então, eu pego a coisa já bem mastigada, a parte toda que interessa, a parte mais objetiva dessa reunião, e daí, sim, eu discuto com ele. Mas é uma coisa já muito esmiuçada, já chegam só as principais coisas e praticamente tudo resolvido, a parte do clube, o que o clube passou para mim. Eu não preciso ficar me desgastando e me desdobrando para tentar chegar num acordo entre clube e jogador.
De dez reuniões, de qual o percentual que Fernando Prass participa?

7 de outubro de 2010

Vasco e Atlético-PR empatam: 0 a 0



Resultado foi ruim para o Gigante da Colina...
Vasco e Atlético-PR se enfrentaram na noite desta quarta-feira, e ficaram no empate sem gols na Arena da Baixada. Em jogo sem muita criatividade de ambos os lados, o gol não saiu e o resultado não foi dos melhores para nenhuma das equipes.
Agora, o time de São Januário soma 37 pontos. Já a equipe paranaense chega aos 43, mas fica a um ponto do Internacional, terceiro colocado.
O jogo
O primeiro tempo não foi dos mais animadores para nenhuma das equipes. Sem muita critativade, nem o Atlético-PR , nem o Vasco coonseguiam criar boas oportunidades de gol, limitando-se a alguns chutes de longa distância. Porém, sem sustos para ambos os goleiros. Com o jogo preso no meio de campo, as faltas foram constantes durante os 45 minutos iniciais.
A melhor chance do Atlético-PR foi aos sete minutos, quando Ivan González cruzou, Nieto desviou de cabeça e a bola passou rente à trave. A resposta do Vasco não tardou e, cinco minutos depois, Zé Roberto girou na área e chutou cruzado, assustando o goleiro João Carlos. E foi apenas.
Aos 24 minutos, o lateral-esquerdo Max sentiu, novamente, lesão na coxa esquerda e deixou o gramado para a entrada de Ernani, que retornou de lesão.
O Furacão apostava nas subidas pela direita de Maikon Leite, mas os cruzamentos buscando Nieto não eram completos. Por outro lado, as tentativas do time cruzmaltino eram nas trocas de passes entre Zé Roberto e Eder Luis, que também não deram certo. Paulo Baier
Assim, já era de se esperar o empate sem gols na etapa inicial.
Na etapa final, o panorama do jogo não mudou muito. Os times continuavam sem muita criatividade. Porém, o Furacão passou a mostrar um futebol melhor e a assustar a zaga do Vasco. PC Gusmão substitiu Rafael Coelho por Allan na tentativa de impor mais velocidade ao time, mas sem sucesso.
O alto número de faltas foi outra coisa que continuou. Mas os times não souberam aproveitar as bolas paradas. A partir dos 20 minutos, o Atlético-PR começou a pressionar e, pelos lados, passou a levar perigo, obrigando à defesa vascaína se defender como podia.
Aos 26 minutos, porém, quase quem abriu o placar foi o time de São Januário, quando Fellipe Bastos fez ótima jogada e chutou forte para a boa defesa de João Carlos.
Depois dos 30 minutos parecia um outro jogo. Talvez temendo o empate, as duas equipes começaram a arriscar mais e conseguiram boas jogadas. Mas as melhores oportunidades continuavam sendo da equipe da casa.
Nos acréscimos, Nieto ainda desperdiçou uma chance incrivel ao cabecear sozinho e mandar a bola à direita do gol de Prass.
Apesar das oportunidades do Furacão a defesa do Vasco funcionou e a partida terminou no burocrático 0 a 0, que não foi bom para nenhum dos lados.

Atlético-PR e Vasco escorregam na Arena e ficam apenas no 0 a 0


Em uma partida de poucas emoções, defesas dominam os ataques e goleiros trabalham pouco. Gramado molhado complica os jogadores.

Correria não faltou, mas Atlético-PR e Vasco viveram uma noite de quarta-feira de pouco brilho, na Arena da Baixada, e ficaram em um 0 a 0 de poucas emoções. A torcida do Furacão não voltou para casa muito satisfeita, mas a equipe chegou ao sétimo jogo de invencibilidade no Campeonato Brasileiro. Está em quinto lugar com 44 pontos, ainda com o sonho vivo de chegar ao G-3. O duelo foi a estreia do técnico Sérgio Soares, que entrou no lugar de Carpegiani, que foi para o São Paulo.
Os cruzmaltinos, que vinham de duas vitórias em casa, sofreram com os desfalques, como Felipe. A equipe, que segue sem vencer na Arena em Brasileiros, chega a 38 pontos e está na 11ª posição.
Suspenso, o técnico Paulo César Gusmão nem foi para o estádio. Assistiu ao jogo no hotel. O responsável por comandar o time cruzmaltino à beira do campo foi o auxiliar Acácio. PC passou instruções através do goleiro Tiago, que ficou com um celular no banco de reservas.
Em um primeiro tempo de muita transpiração e pouca inspiração, o Atlético-PR tentou pressionar e encurralou o Vasco nos primeiros 15 minutos. Apesar da maior posse de bola, o Furacão pouco incomodou o goleiro vascaíno Fernando Prass. A equipe carioca adotou uma postura mais defensiva e apostou na rapidez de seus homens de frente, como Eder Luis e Zé Roberto, mas não produziu muito. Com o gramado molhado, o que mais se viu foram, além de passes errados, encontrões entre os jogadores e derrapadas. Quem se machucou, mas em um lance isolado, foi o lateral-esquerdo vascaíno Max. Ele precisou ser substituído por Ernani.
O saldo da primeira etapa foi uma boa jogada de ataque para cada lado. Aos sete minutos, Ivan González cruzou na direção de Federico Nieto, que desviou de cabeça e a bola saiu rente à trave direita de Fernando Prass, que nada poderia fazer. O susto dado pelo Vasco no Furacão aconteceu aos 12 minutos. Zé Roberto recebeu de Fágner, girou e finalizou. Ele, no entanto, falhou na pontaria. E foi só.

6 de outubro de 2010

Confira outros trechos da entrevista de Eder Luis ao GLOBOESPORTE.COM.


Você não tem um estilo clássico do "boleiro", que usa roupas de grife, cordões, tem tatuagens... Tem alguma vaidade deste tipo?
Até tenho alguns acessórios, como cordões, mas quase não uso. Mas isso vai da pessoa, depende do dia. Se precisar, eu compro. O que gosto mais é de relógio. Uso cremes e perfumes para chegar cheiroso em casa. Minha esposa gosta (assita ao gol de Eder contra o Botafogo, no vídeo ao lado).

E os carros esportivos que os jogadores normalmente gostam de comprar?

Eu quase não ligo para carros. Para pegar uma viagem, como sempre fazemos aqui em casa, tem que ter um mais confortável. Mas para o dia a dia, tanto faz. Os esportivos não me chamam a atenção. Tem tantos que fazem a mesma coisa...
Nas horas de folga, o que gosta de fazer? Vai ao cinema, teatro, sai para jantar? Já está com algum costume carioca, como ir a praia?
Tento aproveitar meus filhos nas horas de folga. Levo eles para brincar em shopping. De praia eu gosto, e eles também. Mas neste ritmo de tantos jogos está difícil. Quando tiver mais folga, vou tentar ir mais. A praia está aqui na frente de casa. À noite saio muito pouco, mais para jantar. Gosto de comer carne e pizza. A nutricionista do clube fala que é para eu me alimentar bem. Perco uma média de dois quilos por partida, então não tem problema.

O que fez você optar pela transferência para o Vasco?

Da roça para o destaque no Brasileiro: Eder Luis abre seu baú de memórias


Em entrevista, atacante conta histórias do início de carreira: as dificuldades, os gols que lhe deram chance no Atlético-MG e a origem do apelido Chico Bento..

Em um universo onde a idolatria e o dinheiro por vezes deslumbram os jogadores, a simplicidade de Eder Luis chega a espantar. Tranquilo e dono de histórias muito engraçadas, o atacante é daquele tipo de pessoa com quem vale a pena conversar. Essa personalidade ajudou o atacante a ganhar destaque na Colina. Menos festejada que Carlos Alberto, Felipe e Zé Roberto, a contratação do jogador foi muito comemorada pela diretoria na época. Hoje, quem vibra com o empréstimo dele é a torcida.
Com um jeitinho mineiro, o atacante chegou ao Vasco comendo pelas beiradas mas logo ocupou seu espaço. Principal destaque do time no Campeonato Brasileiro, o jogador ainda está se acostumando a ser protagonista. O camisa 7, que é o artilheiro da equipe na competição com seis gols, acredita que ainda pode dar muito mais para ajudar o Gigante da Colina .

Ele, que tem 25 anos, considera que este momento é um dos seus melhores da carreira, assim como 2007, quando se destacou com a camisa do Atlético-MG.

- Eu encaro isto (ser o destaque) com naturalidade. Em todo lugar que eu vou, jogo do mesmo jeito. Aqui, eu estou em uma sequência boa, fazendo bons jogos. Em 2007, eu também tive um momento muito bom no Atlético. Fui campeão mineiro lá. Estou me sentindo bem fisicamente, mas o ideal ainda vai demorar um pouco. Quando eu chegar lá, meu rendimento vai poder melhorar muito.
Uma das vantagens de Eder Luis sobre outros medalhões do Vasco é que passa longe do departamento médico. E não é de agora (Eder marcou um bonito gol contra o Fluminense. Assista ao lado).

- Nunca tive lesões, graças a Deus. Só conheço os médicos do Vasco passando pelo vestiário.

2 de outubro de 2010

Vasco fica atrás no placar duas vezes, mas bate o Goiás de virada por 3 a 2


Equipe cruzmaltina vence com um gol de Zé Roberto aos 36 minutos da segunda etapa em São Januário e deixa adversário na degola.

Depois da boa vitória sobre o Santos na última rodada, os vascaínos foram animados para São Januário e, mesmo após um susto, comemoraram novamente nesta sexta-feira. A equipe da Colina fez 3 a 2 no Goiás, chegou a 36 pontos e assumiu a décima posição na 27ª rodada - tem um jogo a menos - do Campeonato Brasileiro. O time esmeraldino, que chegou a ficar na frente do placar por duas vezes, segue com 25, na zona de rebaixamento, em 18º.
O resultado da partida foi bom para o arquirrival Flamengo, já que o Esmeraldino é rival direto na luta contra o rebaixamento. Os gols vascaínos foram marcados por Eder Luis, Max e Zé Roberto. Felipe e Jones descontaram para os goianos. A notícia ruim para os donos da casa foi Felipe, que deixou o campo ainda no primeiro tempo com uma entorse no joelho esquerdo.

Goiás não se intimida e fica em vantagem
A chuvinha fina que caiu em São Januário no início da noite parece ter deixado o time do Vasco um pouco sonolento, especialmente o zagueiro Titi. No primeiro ataque da equipe esmeraldina, aos sete minutos, em uma jogada aparentemente sem perigo, Marcão lançou uma bola longa, o defensor cruzmaltino cochilou e deixou Felipe sozinho. O atacante teve tempo de dominar e fuzilou na saída de Fernando Prass: 1 a 0. A partir daí, Titi, que já havia falhado contra o Santos, passou a ser vaiado pela torcida a cada vez que encostava na bola.
Jogadores do Vasco comemoram unidos mais uma vitória (Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo)

O time da virada voltou! Vasco 3x2 Goiás!


Depois da boa vitória sobre o Santos na última rodada, os vascaínos foram animados para São Januário e, mesmo após um susto, comemoraram novamente nesta sexta-feira. A equipe da Colina fez 3 a 2 no Goiás, chegou a 36 pontos e assumiu a décima posição do Campeonato Brasileiro. O time esmeraldino, que chegou a ficar na frente do placar por duas vezes, segue com 25, na zona de rebaixamento.
O resultado da partida foi bom para o arquirrival Flamengo, já que o Esmeraldino é rival direto na luta contra o rebaixamento. Os gols vascaínos foram marcados por Eder Luis, Max e Zé Roberto. Felipe e Jones descontaram para os goianos. A notícia ruim para os donos da casa foi Felipe, que deixou o campo ainda no primeiro tempo com uma entorse no joelho esquerdo.

Goiás não se intimida e fica em vantagem
 A chuvinha fina que caiu em São Januário no início da noite desta sexta-feira parece ter deixado o time do Vasco um pouco sonolento, especialmente o zagueiro Titi. No primeiro ataque da equipe esmeraldina, aos sete minutos, em uma jogada aparentemente sem perigo, Marcão lançou uma bola longa, o defensor cruzmaltino cochilou e deixou Felipe sozinho. O atacante teve tempo de dominar e fuzilou na saída de Fernando Prass: 1 a 0. A partir daí, Titi, que já havia falhado contra o Santos, passou a ser vaiado pela torcida a cada vez que encostou na bola.
No prejuízo, restou ao Vasco acordar. Coube ao experiente Felipe tomar as rédeas e fazer o time jogar. Se estava difícil entrar na área do Goiás, o camisa 6 deu o exemplo e, em duas jogadas individuais, finalizou duas vezes de fora da área e obrigou Harlei a trabalhar. E foi do lado direito, principal arma da equipe, que o Gigante da Colina conseguiu empatar. Aos 25 minutos, Zé Roberto conduziu a bola e deu um passe milimétrico para Eder Luis, que, dentro da área, só tocou na saída do goleiro: 1 a 1.
 Novamente confiante e com o apoio dos torcedores, o Vasco foi para cima e até criou boas chances de virar, como aos 31. Fagner foi na ponta direita e cruzou rasteiro para o meio da área, onde Eder Luis chutou de primeira e mandou por cima da meta do Goiás. Mas os donos da casa levaram um banho de água fria pouco depois, aos 34. Valmir Lucas arrancou pelo meio da zaga e achou Jones Carioca, que chutou colocado e acertou o cantinho de Fernando Prass: 2 a 1. Quando levou o gol, o Vasco estava com um a menos, já que Felipe estava sendo atendido pelo departamento médico. O meia se machucou e precisou ser substituído por Jonathan, aos 36 minutos.
Antes do fim do primeiro tempo, aos 44 minutos, a equipe da Colina ainda teve uma ótima oportunidade de igualar o placar. Rafael Carioca deu ótimo passe para Max, que finalizou e Harlei salvou.
Zé Roberto vira o herói da virada vascaína

1 de outubro de 2010

Bandeira do Vasco aparece em anúncio da Petrobras


Uma bandeira que faz alusão a uma torcida do Vasco (Força Jovem) aparece num anúncio da Petrobras que vem sendo publicado há alguns dias em jornais cariocas como O Globo, Jsports.com.br e Lance!. O anúncio faz menção ao site www.brasileiraopetrobras.com.br. Confira:

GRAVAÇÃO SERÁ NA PARTIDA CONTRA O GOIÁS..


Corrigindo a notícia anterior na qual informamos que a Jornada Brasileirão Petrobras gravaria imagens de São Januário no dia 06 de outubro, informamos aos vascaínos que as imagens da torcida serão feitas hoje, 1º de outubro, sexta-feira, na partida entre Vasco e Goiás, às 21h.
Convocamos os vascaínos a comparecerem em São Januário para mostrar mais uma vez a força da nossa torcida. Acesse o site
http://www.brasileiraopetrobras.com.br/, assista aos vídeos das outras torcidas e veja a importância da sua presença amanhã em São Januário.
A Jornada Brasileirão Petrobras é um programa organizado pela patrocinadora do Campeonato Brasileiro no qual todas as torcidas dos clubes da Série A são visitadas.