18 de dezembro de 2011

Jornalista revela detalhes da negociação entre Vasco e Parra

Facundo Parra executando um dos seus melhores fundamentos: cabeceio


O argentino Facundo Parra, de 26 anos, é um dos sonhos de consumo da diretoria vascaína para a temporada de 2012. Tido como um dos principais centroavantes em ação na terra dos hermanos, o atual Independiente viria para ajudar o cruzmaltino em seu retorno a Taça Libertadores da América.

Revelado no modesto Chacarita Juniors, Parra tem contrato com o clube de Avellaneda até junho de 2012 e já tem conhecimento do interesse vascaíno. Apesar disso, o desfecho da negociação entre o atacante e o Gigante da Colina não deverá ser breve.

Isso porque a repórter Débora D´Amato, do Portal Olé, falou com exclusividade para o SuperVasco.com e revelou tanto o atleta como seu agente estão curtindo as férias e só devem se dedicar a negociação após esse período de descanso.

Outro detalhe nos revelado pela jornalista é que o Vasco não deverá enfrentar concorrência de clubes do velho continente, pois Facundo ainda não conseguiu obter seu passaporte europeu, o que dificulta e muito uma possível transferência para a Europa.

Detalhes da Negociação

Débora também revelou para o SuperVasco.com que o Independiente nada pode fazer caso o atleta aceita a proposta vascaína. Isso ocorre pelo fato do clube de Avellaneda não ser dono dos direitos econômicos do atleta e de possuir contrato com o mesmo, como já foi dito mais acima, até junho de 2012.

Apesar dessa benefício, o Vasco terá que abrir o cofre caso queira contar com o atleta. Isso porque a proposta cruzmaltina (empréstimo de um ano com opção de compra) não agradou o grupo que detém os direitos econômicos de Parra. Esse tem o interesse apenas de negociar o atleta, o que pode acarretar a desistência do Gigante da Colina.

É um caso muito parecido com o do atacante Élton, que só permanecerá na Colina caso o Vasco resolva comprar seu passe junto ao Olé Brasil, que é o atual dono do passe do atleta.

Escrito por Carlos Gregório Júnior com colaboração da repórter Débora D´Amato, do diário argentino Olé
Fonte: SUPERVASCO.COM - Respeite os créditos » Editada por Carlos Gregorio Júnior

27 de novembro de 2011

Épico! Vasco bate Flu no fim e segue na briga pelo título



 Vasco marca nos acréscimos, vence o Fluminensee leva decisão do título brasileiro para a última rodada

Um gol salvador de Bernardo aos 45 minutos do segundo tempo cravou a vitória do Vasco sobre o Fluminense por 2 a 1 e manteve viva a chance de título brasileiro do time de São Januário. O Fluminense já não pode conquistar o bicampeonato nacional.

Para ser campeã, a equipe carioca tem que vencer o Flamengo, domingo que vem e torcer por uma derrota do Corinthians para o Palmeiras

A notícia do gol do Corinthians, em Florianópolis, contra o Figueirense, alarmou a torcida vascaína no Engenhão. A partir dali, era vencer ou dar adeus ao caneco. Os alvinegros cariocas puderam comemorar quando Bernardo cruzou da direita, Rômulo ajeitou, e Alecsandro mandou de cabeça no meio das pernas de Diego Cavallieri.

Aos 39, porém, Fred deixou tudo igual e enterrou as chances rivais. O atacante dominou no peito dentro da pequena área e enfiou o pé, fazendo seu oitavo gol em três partidas - é o vice-artilheiro da competição com 21 gols, dois a menos que Borges, do Santos.

No finalzinho, quando os corintianos já ensaiavam a comemoração em Florianópolis, Cavalieri soltou bola fácil nos pés de Bernardo, que estufou a rede. Emocionado, o meia não se conteve e foi às lágrimas.

Bernardo marca o gol da vitória aos 45 minutos do segundo tempo e garante o triunfo e a sobrevida do Vasco no Brasileirão


A decisão do Campeonato Brasileiro ficou mesmo para a última rodada. O Vasco conseguiu uma vitória emocionante sobre o Fluminense neste domingo, no Engenhão, por 2 a 1, e segue na cola do Corinthians. Alecsandro, Fred e Bernardo, aos 45 minutos do segundo tempo, fizeram os gols do jogo.

Com o resultado, o Gigante da Colina permanece a dois pontos de distância do líder da competição, que na próxima rodada enfrentará o rival Palmeiras. Já o Vasco terá pela frente o não menos cascudo Flamengo. Enquanto isso, o Fluminense pega o Botafogo.
Veja os lances do primeiro tempo de Vasco x Flu


20 de novembro de 2011

Anderson Martins quer voltar ao Vasco em 2012

Anderson Martins quer retornar ao Vasco 


Zagueiro, que está sem atuar, deseja disputar a Libertadores pelo Gigante da Colina

A dor da despedida foi grande, mas a saudade pode não ter longa duração. Transferido para o futebol do Qatar em agosto, o
zagueiro Anderson Martins, destaque do Vasco na Copa do Brasil ao lado de Dedé, quer retornar à Colina para a disputa da Copa Libertadores de 2012.
Nos últimos dias, o jogador procurou e deixou isso explícito para pessoas de São Januário. Um dos principais motivos é o fato de nem sequer ter estreado pelo Al-Jaish. Isso porque, inacreditavelmente, o clube perdeu o prazo para inscrevê-lo no campeonato local. Com isso, ele está apenas treinando.
Apesar do desejo de Anderson Martins, a negociação é considerada difícil, já que o Al-Jaish pagou um alto valor por 100% dos direitos econômicos que pertenciam à Traffic. No contrato que assinou, consta que receberá cerca de R$ 10, 3 milhões por
três anos no Qatar.
Existe a possibilidade, porém, de que já na semana que vem representantes do clube árabe venham ao Brasil para negociar este possível retorno, que, em condições mais viáveis por conta dos valores, aconteceria por empréstimo.
Procurado pelo LANCE!, o diretor executivo do Vasco, Rodrigo Caetano, diz desconhecer tal possibilidade, e o empresário do zagueiro, Carlos Leite (que tem boa relação com o Vasco), negou que haja negociação.
– Não há chance de ele retornar ao Brasil no momento – disse, de forma sucinta, ao telefone.
A diretoria tem procurado não falar sobre negociações, pelo menos, até o término do Brasileirão. Desde que saiu do clube, Anderson Martins manifesta o desejo de retornar, algum dia, ao Vasco.

Fátima Bernardes revela: 'William sempre torce pelo Vasco'

Dinamite, William Bonner e Fatima Bernardes


Com o sábado de folga, os apresentadores do Jornal Nacional, Fátima Bernardes e William Bonner, marcaram presença no jogo do Vasco deste sábado (19/11), contra o Avaí, em São Januário.

Acompanhados pelos trigêmeos, Laura, Beatriz e Vinicius, pelo primo Hugo e pelo amigo dos filhos, Bernardo, os jornalistas acompanharam a vitória vascaína por 2 a 0 na Tribuna de Honra do estádio. Antes do início da partida, Fátima e William Bonner foram recepcionados na sala da presidência, pelo presidente do Vasco, Roberto Dinamite.

O ídolo vascaíno convenceu William Bonner a vestir a camisa do Vasco pela primeira vez.

- Nunca precisei convencer o William a colocar a camisa do Vasco. Já temos quase 21 anos de casados e ele sempre teve simpatia pelo Vasco. Roberto Dinamite é simpático, fez uma camisa para meu marido e ele vestiu. William sempre torce pelo Vasco, quando não é contra o São Paulo – disse Fátima Bernardes com exclusividade ao site oficial.

Os jornalistas que estiveram pela primeira vez no estádio cruzmaltino, ficaram admirados com a beleza de São Januário.

- O estádio do Vasco é muito bonito e muito fotogênico. São Januário é bonito cheio e vazio. Nossa chegada aqui foi bem impressionante, desci em frente ao portão principal e fiquei admirado. A arquitetura do estádio é muito bonita. Vamos proporcionar um dia inesquecível para os nossos filhos – comentou Bonner, minutos antes do início da partida.Já curtiu o SuperVasco no Facebook hoje?
Fonte: Site oficial do Vasco
Leia mais sobre: Fátima Bernardes

13 de novembro de 2011

No Caldeirão ou no Engenhão, o bom é o Vascão! 2 a 0

A fórmula já é conhecida. E deu certo mais uma vez. Basta o técnico Ricardo Gomes entrar em cena para o Vasco ganhar motivação extra e garantir mais três pontos. Foi assim com o telefonema antes da vitória sobre o Atlético-MG, e as visistas à concentração nas vésperas das partidas contra Universitário-PER, pela Sul-Americana, e Botafogo. No clássico deste domingo, o clube de São Januário mostrou sua força novamente. A vitória por 2 a 0, com a marca do zagueiro Dedé mais uma vez, manteve a equipe do técnico interino Cristóvão Borges na vice-liderança do Campeonato Brasileiro, na cola do Corinthians.

A equipe paulista, que horas mais cedo derrotou o Atlético-PR, no Pacaembu, tem os mesmos 61 pontos do Vasco, mas lidera no número de vitórias (18 x 17). O resultado negativo, segundo seguido do Botafogo no Engenhão, fez a equipe do técnico Caio Junior estacionar nos 55 pontos e ainda cair para a quinta posição. A quarta derrota do Alvinegro, que não tinha perdido nenhum clássico no Brasileirão até o momento, nos últimos cinco jogos evidenciou ainda a queda de rendimento da equipe na reta final do Brasileirão.

As duas equipes voltam a campo na próxima quarta-feira. O Botafogo vai até Sete Lagoas para encarar o América-MG, às 20h30m (de Brasília). Logo depois, às 21h50m, o Vasco enfrenta o Palmeiras, no Pacaembu.

Contra-ataque, gol e displicência

Depois da visita do técnico Ricardo Gomes à concentração vascaína, na tarde do último sábado, Cristóvão surpreendeu na escalação. Com Juninho Pernambucano, Élton e Alecsandro no banco, o interino repetiu a fórmula que deu certo na vitória sobre o Bahia: meio-campo recheado de volantes e ataque rápido com Diego Souza e Éder Luis. Os primeiro minutos da partida, porém, deram a impressão de que a opção vascaína tinha sido equivocada. Com calma, passes rápidos e seu time titular completo, o Botafogo começou sufocando e teve duas boas chances para abrir o placar com Herrera e Elkeson antes mesmo dos 10 minutos.

Aos poucos, no entanto, o Vasco encaixou a marcação e começou a levar muito perigo nos contra-ataques. Logo no primeiro deles, Fellipe Bastos já balançou a rede alvinegra. Alan achou Éder Luis livre na direita. O atacante tinha Diego Souza e Rômulo como opções no meio da área, mas o passe saiu errado e encontrou Bastos na corrida. O chute saiu seco e rasteiro. Em impedimento, Diego Souza pulou e acabou atrapalhando a visão de Jefferson, mas o bandeirinha validou o lance.

O gol abateu o Botafogo. À beira do campo, Caio Junior tentava orientar seus jogadores em vão. Em outra bobeada, novo contra-ataque e quase o segundo gol do Vasco. Após tabelinha com Fágner, Diego Souza, livre na marca o pênalti, chutou por cima do gol. Errando muitos passes e insistindo nas jogadas aéreas para Loco Abreu, o Alvinegro esbarrava em mais uma atuação segura de Dedé e quase não assutava Fernando Prass.

Marcando a saída de bola do adversário, o Vasco dominava as ações da partida sem dificuldades. E teve outra ótima chance de ampliar antes do intervalo em um momento de trapalhada da defesa do Botafogo. Diego Souza recebeu a bola em profundidade, mas perdeu na corrida para Antônio Carlos. O zagueiro, no entanto, deu um leve toque na bola e enganou Jefferson, que acabou derrubando o apoiador vascaíno. Pênalti. Diego pegou a bola e repetiu o estilo apresentado na cobrança bem executada diante do Universitário-PER, pela Copa Sul-Americana, na última quarta-feira, com corrida lenta e chute fraco. Ele só não esperava que o goleiro do Botafogo tivesse visto o lance pela TV. Resultado: defesa tranquila e jogo aberto.

Dedé, sempre ele, resolve no ataque outra vez

O segundo tempo começou como se ainda fosse o primeiro: Botafogo perdido e Vasco soberano. De tanto insistir, não demorou muito para o Cruz-Maltino ampliar. Éder Luis já tinha perdido outra boa chance quando Dedé voltou a brilhar no ataque. Jefferson acabara de realizar um milagre em uma finalização de canela do zagueiro Renato Silva, quando o ídolo da torcida vascaína roubou a bola, driblou Elkeson e tocou para Rômulo. O volante abriu para Fellipe Bastos na esquerda e o cruzamento encontrou a cabeça de Dedé, que ainda aproveitou o erro de marcação de Cortêz para colocar 2 a 0 no placar. Com os dois gols sobre Universitário-PER, foi o terceiro gol do zagueiro-artilheiro na semana.

Quando tinha a bola, o Botafogo não sabia o que fazer com ela. A falta de objetividade alvinegra levava o goleiro Fernando Prass a ser um mero expectador. Com a chuva forte que caia sobre o Engenhão àquela altura, só restava ao Vasco esperar o tempo passar. O volante Rômulo ainda deu mais emoção à vitória ao ser expulso aos 31 minutos da etapa final por supostamente xingar o juiz Antônio Carvalho Schneider.

Nem mesmo a vantagem númerica foi suficiente para o Botafogo assustar. Com calma, o Vasco seguiu com a posse de bola e esperou apenas o apito final. De sua casa, Ricardo Gomes provavelmente sorriu. Trabalho bem feito mais uma vez.
Já curtiu o SuperVasco no Facebook hoje?
Fonte: GloboEsporte.com

10 de novembro de 2011

Vascão incrível! Universitario 2 x 5 PhDedé

Sob o comando do zagueiro Dedé, o Vasco se recuperou da derrota de 2 a 0 no jogo de ida, virou a partida desta quarta-feira, em São Januário, e com a goleada de 5 a 2 sobre o Universitario-PER obteve a classificação para a semifinal da Copa Sul-Americana. Dedé, que teve a infelicidade de ver a bola do segundo gol do time peruano desviar em sua perna direita antes de entrar, no início do segundo tempo, fez depois dois gols e deu o passe para o quinto, o de Alecsandro. Os outros foram feitos por Diego Souza e Elton, com Ruidíaz e Rabanal fazendo os da equipe peruana.

O adversário do na luta por uma vaga na final a princípio será o vencedor do confronto entre Universidad de Chile e Arsenal de Sarandí-ARG. Mas se o time argentino se classificar e também o Vélez Sarsfield-ARG, que pega o Santa Fé-COL, as duas equipes do mesmo país terão de se enfrentar. Neste caso, o rival será LDU-EQU ou Libertad-PAR.

O começo do jogo mostrou o Vasco com a intenção de abrir logo o marcador, mas a equipe confundiu velocidade com pressa e com erros de passes facilitava o sistema defensivo do Universitario. O gramado, com falhas, molhado antes da partida e "remendado" com areia, dificultava um pouco a ação do time que mais precisava criar, ou seja, o da casa.

Os jogadores das duas equipes demonstraram nervosismo e, com entradas duras e reclamações excessivas, em nove minutos o árbitro mostrou o cartão amarelo quatro vezes: duas para cada time (Nilton e Dedé, pelo Vasco, e Llontop e Flores, pelo Universitario).

Na base da pressão, o Vasco conseguiu pôr uma bola na trave, em toque de Elton após cruzamento da direita de Fagner, aos 9. Três minutos depois, o técnico Del Solar teve de substituir o zagueiro Galliquio, machucado, por Duarte. A postura do time peruano era a esperada: fechada, aguardando o momento de dar o bote num vacilo vascaíno. Mas o time carioca não saía do ataque e com boas jogadas pela direita, com Fagner e Eder Luis, criou outra boa chance com Elton e o lance do pênalti em Juninho, que Diego Souza converteu aos 23.

Até os 32, os peruanos não haviam organizado um contra-ataque sequer, mas no primeiro que deu certo, chegou ao gol de empate, com um belo toque de Ruidíaz que Prass não conseguiu defender. O gol desnorteou os vascaínos, que passaram a errar muito e a criar quase nada no ataque. Quando conseguia penetrar na defesa adversária, errava no último passe. Antes do fim da primeira etapa,que terminou em confusão entre os jogadores, a melhor chance surgiu em chute de fagner de fora da área que Llantop defendeu bem.

Antes de começar o segundo tempo, mais confusão

Ao voltarem a campo, os times foram informados que ficariam com um jogador a menos, pois González e Diego Souza foram expulsos por causa do tumulto no fim da etapa inicial. Mal a bola rolou teve outro entrevero, entre Diego Rosa e Mendoza e dois gols. O Universitario virou o jogo com Rabanla em chute que desviou em Dedé, aos 2, mas um minuto depois Elton, de cabeça, empatou de novo a partida.

Precisando vencer por três gols de vantagem, o Vasco se lançou ao ataque e numa tentativa de cruzamento da direita, o zagueiro Dedé deu muita sorte, Llontop engoliu um daqueles frangos antológicos e o time cruz-maltino voltou à frente no marcador: 3 a 2. Logo depois, aos 16, Rabanal agrediu Fagner e também recebeu o cartão vermelho, deixando o Universitario com nove jogadores em campo.

A partir daí, o jogo se transformou num ataque contra defesa. Uma defesa muito violenta, é bom que se ressalte. Mas o time de São Januário se mostrou valente e foi criando chances de marcar. E o quarto gol chegou aos 27, novamente com Dedé, desta vez de cabeça. O time peruano ficou bastante acuado, mas conseguiu uma solitária boa oportunidade numa arrancada impressionante de Morel, Renato Silva e Prass impediram que terminasse com a bola na rede.

No entanto, quem mandava e desmandava em campo era o Vasco, que mais na base da raça do que na técnica buscava o gol da classificação. E ele veio, mais uma vez com grande participação de Dedé, que deu o passe de cabeça para Alecsandro desviar a bola de Llontop, aos 37. A festa da torcida vascaína ficou completa e a equipe ainda teve outras chances para aumentar a vantagem, mas não foi preciso, o Vasco conseguiu o que precisava.
Já curtiu o SuperVasco no Facebook hoje?

27 de outubro de 2011

Em 2011, Vasco vem colecionando goleadas

Segundo melhor ataque do Brasil, Vasco já aplicou goleada de 9 a 0 em 2011(Foto: Cleber Mendes)

Clube aplicou sua maior goleada em uma competição continental e a segunda maior em todas as edições da Sul-Americana

A temporada de 2011 está sendo de muitos gols para a torcida vascaína. Na noite desta quarta-feira, o 8 a 3 aplicado sobre o Aurora (BOL), em São Januário, deixou a torcida Cruz-Maltina em estado de graça. São 117 gols marcados, em 63 jogos disputados. Média de 1,8 gols por partida. A média do time garante, ao menos, um gol por jogo. O segundo melhor ataque do Brasil na temporada atrás, apenas, do Coritiba.
Vitórias como a desta quarta são comuns sob o comando de Ricardo Gomes e Cristovão Borges. Começando o seu trabalho no clube, Gomes comandou a equipe na vitória de 9 a 0 diante do América. Na Copa do Brasil, que viria a ser conquistada, goleada de 6 a 1 sobre o Comercial-MS.


Ao todo, são quatro as competições que o Vasco disputou ou está disputando - Carioca, Copa do Brasil, Brasileirão e Sul-Americana - e somando os quatro torneios, em 54 oportunidades os 'goleadores' vascaínos fizeram, ao menos, um gol.
A goleada sobre o Aurora foi a maior do clube em uma competições continental. A segunda maior aplicada na Copa Sul-Americana.

OS MELHORES ATAQUES DO BRASIL EM 2011:
Coritiba
132 gols em 65 jogos (2,05 gols por jogo)
Vasco
117 gols em 63 jogos (1,8 gols por jogo)
Internacional
110 gols em 62 jogos (1,7 gols por jogo)
Ceará
110 gols em 68 jogos (1,6 gols por jogo)
Santos
108 gols em 68 jogos (1,6 gols por jogo)

23 de outubro de 2011

Vasco bate Bahia e volta à liderença do Brasileiro...!

Diego Souza e Felipe fizeram os gols do Vasco Agência O Globo)

Fora de casa, equipe cruz-maltina abre o placar, segura reação adversária, garante o triunfo e retorna à ponta da tabela

O Vasco foi até Salvador enfrentar o Bahia no estádio de Pituaçu, neste domingo, e no ritmo do axé reconquistou a liderança do Campeonato Brasileiro. A equipe cruz-maltina venceu por 2 a 0, com gols de Felipe e Diego Souza, e foi beneficiada pelo empate do Corinthians com o Internacional para voltar à ponta da tabela.
Após abrir o placar no primeiro tempo, o time do técnico Cristovão Borges conseguiu segurar a pressão do time da casa e garantir os três pontos. No fim, Diego Souza fez o gol que garantiu o triunfo. Agora, o Vasco recebe o São Paulo, domingo, em São Januário. Já o Bahia, que ainda luta contra o rebaixamento, enfrenta o Figueirense, em Santa Catarina, no mesmo dia.
GOL DO MAESTRO

A escalação do Vasco foi divulgada com Felipe na lateral esquerda e o meio de campo formado por quatro volantes: Rômulo, Jumar, Eduardo Costa e Allan. Porém, na prática, não foi bem isso o que aconteceu. Logo nos primeiros minutos percebeu-se que Jumar estava caindo pela ala e Felipe estava na 'meiúca' armando as jogadas.

A ala esquerda também parecia ser o trunfo de Joel Santana para levar o Bahia à vitória. Dodô tinha espaço para trabalhar e dava trabalho. E quase abriu o placar aos oito minutos, depois de finalizar da entrada da área. O Vasco, ainda se acertando em campo, viu, no minuto seguinte, Fabinho acertar uma bomba no travessão de Fernando Prass. No rebote, o atacante Souza dividiu com Dedé e não conseguiu concluir.

Aos 16 minutos, em uma das primeiras vezes em que o Vasco conseguiu chegar ao ataque, Diego Souza recebeu na área, girou e marcou. Mas o árbitro anulou erradamente o gol.

Aos poucos, Felipe foi aproveitando a liberdade dada pelo técnico Cristovão Borges e avançando para criar as jogadas, enquanto Jumar, Rômulo e Nilton (que havia entrado no lugar de Eduardo Costa) seguravam os ataques adversários. E deu certo! Aos 22 minutos, o camisa 6 achou Diego Souza na entrada da área. Ao tentar dominar, o camisa 10 acabou devolvendo a bola para o Maestro, que bateu com qualidade, encobriu Lomba e saiu para comemorar.

A partir do gol, o time cruz-maltino foi ganhando campo e espaço para jogar. Foi questão de tempo para Lomba começar a trabalhar, evitando os gols de Diego Souza e Fagner.

Pelo lado baiano, Dodô tentava algumas arrancadas, mas em vão. Já perto do fim do primeiro tempo, Felipe tocou para Eder Luis, que errou o passe ao tentar a devolução, mas a bola ainda sobrou em seus pés. O camisa 7 bateu e a bola passou próxima à trave direita do camisa 1 do Bahia.

DIEGO SOUZA 'FECHA O CAIXÃO'

O segundo tempo começou sem modificações. Mas o Bahia se mostrava mais organizado em campo e chegando com um volume maior à área vascaína. Porém, a primeira chance clara de gol foi do time cruz-maltino. Aos 11 minutos, Diego Souza recebeu na área e achou Fagner que, sem marcação, mandou por cima da meta.

Mas os comandados de Cristovão Borges foram, mais um vez, conseguindo se acertar em campo e levando perigo a Marcelo Lomba. Para tentar o empate, "Papai" Joel colocou os atacantes Lulinha e Junior nas vagas de Jones e Reinaldo, que não vinham tendo uma boa atuação. Do outro lado, Felipe saiu para a entrada de Bernardo.

O Vasco, então, passou a ter mais velocidade, mas como o camisa 31 avança mais que Felipe, os volantes tiveram de trabalhar um pouco mais à frente, o que permitiu ataques perigosos do Bahia.

Aos 27 minutos do segundo tempo, a torcida vascaína comemorou muito. Mas o lance tinha ocorrido no outro extremo do Brasil, mais precisamente no Rio Grande do Sul. No Beira-Rio, o Internacional abria o placar contra o Corinthians, gol de Nei.

O jogo passou a ficar com uma marcação forte no meio de campo e, consequentemente, com muitas faltas. Para evitar qualquer problema, o árbitro Wilton Pereira Sampaio tratou de distribuir alguns amarelos para acalmar os ânimos.

Aos 32 minutos, Souza recebeu passe em profundidade, passou por Douglas e Prass saiu nos pés do atacante para fazer a defesa. Na dividida, o camisa 1 recebeu uma pancada na mão, mas rapidamente voltou ao jogo. No minuto seguinte, o tempo fechou entre Fagner e Ávine, que havia acabado de entrar, e o árbitro teve de chamar os dois para uma conversa.

Com a entrada de Bernardo, o meio de campo se desarrumou e o Vasco perdeu boa parte de seu poder ofensivo. O Bahia aproveitou para pressionar o time carioca atrás do empate, mas as finalizações não chegavam a assustar a defesa cruz-maltina. Porém, aos 38, mais um erro da arbitragem. Souza lançou o atacante Junior nas costas da defesa do Vasco e o árbitro marcou impedimento, que não existiu.

Apesar da pressão nos minutos finais, quem chegou ao gol foi o Vasco. Em contra-ataque, Bernardo achou Diego Souza sem marcação e o camisa 10 só teve o trabalho de bater na saída de Marcelo Lomba, fechando o placar.

Com o resultado em Pituaçu e o empate do Corinthians no Beira-Rio, o time cruz-maltino reassumiu a liderança do Brasileiro, enquanto o Bahia vê a zona de rebaixamento se aproximando.

FICHA TÉCNICA
BAHIA 0 X 2 VASCO

Local: Pituaçu, em Salvador (BA)
Data-Hora: 23/10/2011 - 16h (Horário de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares: Marrubson Melo Freitas (DF) e Altemir Haussman (Fifa-RS)
Renda e público: R$ 776.252,50 / 32.157 pagantes
Cartões amarelos: Titi, Fahel, Lulinha e Paulo Miranda (BAH); Diego Souza e Fagner (VAS)
Cartões vermelhos: -
Gols: Felipe 22'/1ºT (0-1) e Diego Souza 46'/2ºT (0-2)

BAHIA: Marcelo Lomba, Gabriel, Titi, Paulo Miranda e Dodô; Fahel, Fabinho e Hélder (Ávine 32'/2ºT); Jones (Lulinha 14'/2ºT), Reinaldo (Junior 18'/2ºT) e Souza - Técnico: Joel Santana.

VASCO: Fernando Prass, Fagner, Dedé, Douglas e Felipe (Bernardo 18'/2T); Rômulo, Jumar, Eduardo Costa (Nilton 17'/2ºT) e Allan; Diego Souza, Eder Luis e Elton - Técnico: Cristovão Borges.

Leia mais no LANCENET! http://www.lancenet.com.br/vasco/Vasco-Bahia-volta-liderenca-Brasileiro_0_577742325.html#ixzz1beAvBtUb
© 1997-2011 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

LÍDER! Vasco derrota Bahia e retoma a ponta do Brasileiro: 2 x 0

Felipe, o 'Maestro da Colina'


O Vasco derrotou na tarde deste domingo (23/10) o Bahia pelo placar de 1 x 0. A partida , que foi válida pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro, ocorreu no Estádio de Pituaçu, em Salvador, e o gol cruzmaltino foi marcado por Felipe.

Com o resultado, o Gigante da Colina chegou aos 57 pontos e reassumiu a liderança do Campeonato Brasileiro. Na próxima quarta-feira (26), em São Januário, o cruzmaltino volta aos gramados para encarar o Aurora-BOL, pelas oitavas-de-final da Copa Sul-Americana.

O jogo
Mesmo atuando longe de seus domínios, o Vasco iniciou a partida pressionando a equipe do Bahia com Diego Souza. Aos seis minutos, o camisa 10 arriscou de intermediária e obrigou Marcelo Lomba a fazer uma grande defesa.

A resposta do tricolor baiano veio logo na sequência, mais precisamente aos nove minutos, quando Dodô avançou pelo lado esquerdo, chutou e viu a bola passar rente à trave de Fernando Prass. No minuto seguinte quem levou perigo foi Fabinho, que mandou uma bomba da intermediária e acertou a trave vascaína.

O Gigante da Colina não se abateu com as investidas da equipe da casa, continuou dominando a partida e foi recompensado aos 23 minutos, quando Felipe tabelou com Diego Souza, acertou um belo chute e abriu o placar em Pituaçu: Vasco 1 x 0.

O gol empolgou ainda mais a equipe vascaína, que seguiu atacando e levando perigo. Aos 31 minutos, Eder Luis fez grande jogada pelo lado esquerdo e serviu Diego Souza, que bateu forte e obrigou Marcelo Lomba a fazer outra excelente defesa. O goleiro da equipe baiana voltou a fazer uma difícil defesa aos 36 minutos, quando Fagner avançou pela direita e bateu cruzado. Aos 44 minutos, o Vasco chegou novamente com Eder Luis, que tabelou com Felipe, bateu cruzado e viu a bola passar rente a trave do tricolor baiano.

O Vasco voltou para o segundo tempo com a mesma postura que encerrou a etapa inicial. Logo aos 11 minutos, Diego Souza fez grande jogada, serviu Fagner e viu o camisa 23 isolar a bola. Aos 16 foi a vez de Felipe roubar a bola de Helder, bater cruzado e ver Marcelo Lomba fazer uma fácil defesa. O lance foi o último do ‘Maestro’ da Colina, que aos 18 minutos foi substituído por Bernardo.

A modificação não demorou muito para surtir efeito, pois aos 22 minutos o camisa 31 serviu Nilton, que mandou uma bomba da intermediária e assustou o goleiro do esquadrão. Após esse lance, o jogo esfriou e só voltou a esquentar aos 31 minutos, quando Souza apareceu livre na grande área e parou em Fernando Prass.

Apesar da investida tricolor, o Vasco seguiu melhor na partida e aos 38 minutos quase ampliou o placar em cobrança de falta de Bernardo.

Vasco: Fernando Prass, Fagner, Dedé, Douglas e Felipe (Bernardo); Jumar, Eduardo Costa (Nilton), Rômulo e Allan; Diego Souza e Eder Luis.
Já curtiu o SuperVasco no Facebook hoje?
Fonte: Site oficial do Vasco


20 de outubro de 2011

Pela primeira vez na história, Vasco, Botafogo, Fla e Flu poderão estar na mesma edição de Libertadores

É difícil não olhar para a tabela de classificação do Brasileirão e não ficar orgulhoso do futebol carioca. Mas não é de agora que essa ascensão está bem visível no futebol Brasileiro.

Em 2009, o Flamengo colocou o estado no topo do país, ao vencer o Brasileirão. Em 2010, também no Brasileirão, foi a vez do Fluminense colocar o Rio de Janeiro como o estado campeão nacional. Esse ano, ao ser campeão da Copa do Brasil, o Vasco já colocou o Rio aonde ele merece: mais uma vez no topo do país.

Mas e no topo da América do Sul? Alguém se habilita? Se depender do grande momento que os cariocas estão vivendo, sim!

Muito perto de acontecer pela primeira vez na história esse ano, nunca os quatro grandes do futebol carioca participaram de uma mesma edição de Copa Libertadores da América, e se realmente for quebrado esse tabu de 51 anos, 2011 poderá ser um ano histórico para o futebol do Rio de Janeiro.

O Botafogo é o time que precisa aproveitar esse bom momento que vive e dar fim aos 15 anos de jejum sem ir à Libertadores. A última vez foi em 1996, quando, em 1995, foi campeão Brasileiro e assegurou a sua vaga.

Já o Flamengo e o Fluminense são os clubes do Rio que estão sempre chegando ao maior torneio do continente. Em 2008, por exemplo, o Fluminense quase deixou o Botafogo como o único grande do Rio a não ter Libertadores, mas perdeu na final para a LDU, do Equador, e interrompeu o sonho.

Pensando em conquistar sua segunda Libertadores, o Vasco já tem sua vaga assegurada na competição continental de 2012, pois é o atual campeão da Copa do Brasil.

Só para apimentar ainda mais o assunto cariocas/Libertadores, em 1985 foi o primeiro ano desde o início do torneio, em 1960, que dois clubes do Rio foram para uma mesma edição de Libertadores. Agora, de lá para cá, é unanimidade mais de um clube carioca participar da competição.

Relembrando outro tabu que poderá ser quebrado em 2011

Há um tempo, fiz uma pesquisa na qual eu explicava o tabu que existia, e ainda existe, entre os times do estado do Rio e o Brasileirão. Desde 1984 que o Brasileirão não é vencido por três vezes seguidas por clubes do Rio. Só para relembrar...

E vocês, leitores, é dessa vez que veremos todos os grandes do Rio em uma mesma edição de Copa Libertadores da América? Opinem!

16 de outubro de 2011

Vasco despacha Atlético-MG e segue na cola do Corinthians: 2 x 0

O Vasco venceu o Atlético Mineiro por 2 a 0, neste domingo, em São Januário, e foi a 54 pontos na tabela do Campeonato Brasileiro. Assim, Vasco e Corinthians seguem na ponta, com vantagem para o time paulista por ter uma vitória a mais.

Já o Atlético Mineiro segue em situação dramática, mas pelo menos viu todos os seus concorrentes na luta contra o rebaixamento perderem: América-MG, Avaí, Atlético-PR, Cruzeiro e Ceará foram todos derrotados. Com 30 pontos, o Atlético é o 17º, enquanto o rival Cruzeiro, com um ponto a mais, é o primeiro fora do Z-4.

A vitória do Vasco foi consolidada com dois gols logo no início. Elton marcou aos 2min, e Fágner ampliou aos 18min do primeiro tempo. Serginho, volante do Atlético, ainda foi expulso na etapa final quando o time jogava bem e buscava a reação.

O Vasco volta a campo domingo, contra o Bahia, em Salvador. O Atlético Mineiro tem outra pedreira no Rio e encara o embalado Fluminense, sábado, às 18h.

Volte em instantes para ler mais sobre a partida.
Já curtiu o SuperVasco no Facebook hoje?
Fonte: ESPN Brasil

13 de outubro de 2011

Vasco conta com a força de Dedé para bater Atlético-PR


Clube faz de tudo para ter zagueiro contra o Atlético-PR. Nem atraso no voo tira ímpeto da diretoria


Leia mais no LANCENET! http://www.lancenet.com.br/minuto/Vasco-forca-Mito-bater-Atletico-PR_0_571742864.html#ixzz1afNzISFe
© 1997-2011 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE! 
Qual a importância de Dedé para o Vasco? O certo é que, sem ele, os números do time não são nada favoráveis. E, ciente disso, a diretoria não ficou parada e montou uma verdadeira força-tarefa para que o zagueiro pudesse estar em campo na noite desta quinta-feira, às 20h30 (horário de Brasília), contra o Atlético-PR com transmissão em tempo real pelo LANCENET!.
Para ter Dedé, o clube conseguiu alterar a data da partida de hoje, que seria realizada ontem, e participou do fretamento de um avião para que ele voltasse mais cedo do México, onde estava com a Seleção. E, mesmo com o atraso no voo, os dirigentes deram um jeitinho para que ele se juntasse ao grupo. O planejamento previa que o jogador dormisse no Rio para chegar a Curitiba nesta manhã. E vai para o jogo.
Neste ano, mesmo quando ficou sem estrelas como Felipe, Juninho, Diego Souza e Eder Luis, o Vasco encontrou uma forma de suprir as ausências e não caiu de produção. O mesmo não acontece sem Dedé em campo. Desde que o time passou a utilizar titulares no Brasileirão, a partir da quinta rodada, o zagueiro ficou fora de cinco jogos. Destes a equipe teve uma vitória, dois empates e duas derrotas, ambas por goleada (4 a 1 para o América-MG e 3 a 0 para o Inter).
Neste ano, Dedé disputou 48 das 60 partidas do Vasco, com 25 vitórias, 15 empates e oito derrotas, um aproveitamento de 62,5%. Das 12 em que não atuou, o time perdeu a metade delas.
- O Dedé faz falta em qualquer time do mundo - disse Fagner.
OS NÚMEROS DO MITO SEGUNDO FOOTSTATS!
Jogos 20
Faltas cometidas 41
Desarmes 79
Finalizações 20
Gols 4

Leia mais no LANCENET! http://www.lancenet.com.br/minuto/Vasco-forca-Mito-bater-Atletico-PR_0_571742864.html#ixzz1afOAJ78l
© 1997-2011 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

2 de outubro de 2011

Vasco empata com o Corinthians e prossegue na liderança: 2 a 2

Diego Souza teve atuação apenas regular contra o Corinthians

Em dois pontos estava e em dois pontos continuou a distância do líder Vasco para o vice-líder Corinthians. Os ponteiros do Campeonato Brasileiro duelaram neste domingo, em São Januário, e empataram por 2 a 2.

Mesmo atrás no marcador em duas ocasiões, o Timão sai do Rio tendo mais a lamentar. O time perdeu pelo menos três chances nos minutos finais e ainda reclama de um pênalti – Fagner teria colocado a mão na bola – no primeiro tempo.

O Vasco teve em Dedé seu ponto forte. Firme atrás e perigoso na frente, o zagueiro abriu o placar de cabeça. Alex empatou, mas Fagner colocou novamente os anfitriões em vantagem. No segundo tempo, Danilo, o melhor corintiano em campo, garantiu o pontinho.

Defensores colocam Vasco na boa; Corinthians reclama de pênalti ignorado

O banco do Vasco teve duas novidades. Fora dos campos desde o fim de agosto, Felipe voltou a ser relacionado. O mesmo aconteceu com o volante Nilton, que operou o joelho duas vezes e estava recuperando-se há quase um ano.

Do outro lado, o Corinthians empilhou desfalques importantes. Principalmente no ataque. Sem contar com Emerson, suspenso, e Liedson, machucado, houve até a tentativa de antecipar a estreia de Adriano. Porém, por precaução, o Imperador sequer ficou no banco. Tite escalou Willian e Jorge Henrique.

Os visitantes tiveram mais posse de bola nos minutos iniciais e priorizaram as tentativas pelo lado direito, com Jorge Henrique. Mas a primeira chance foi vascaína. Juninho levantou com precisão, mas Elton, mesmo livre, cabeceou fraco e Julio César segurou.

Aos dez, Leandro Castán cabeceou até acertou o pé da trave, mas o zagueiro estava impedido e a jogada foi interrompida acertadamente.

Em outra bola aérea, aos 15, o Vasco abriu o placar. Juninho cobrou escanteio da direita, Dedé subiu no meio da área e cabeceou por cima de Julio César. A bola bateu no travessão antes de entrar. Foi o quarto gol do zagueiro no Brasileirão.

O Corinthians não se abalou com a falha defensiva e empatou pouco depois. Paulinho fez ótimo lançamento para Danilo na direita. O recebeu nas costas de Marcio Careca, avançou e rolou para Alex chutar no alto, com o gol vazio.

O goleiro Julio César deu um susto aos 25. Elton tentou desviar cruzamento da direita, mas acertou – sem querer – o joelho na cabeça do corintiano, que e ficou imóvel por alguns segundos. Entretanto, após atendimento médico, ele voltou ao jogo sem problemas.

O Corinthians teve o que lamentar nos minutos finais no primeiro tempo. Primeiro, Fagner bloqueou com o antebraço direito dentro da área uma bola cabeçada por Jorge Henrique. O árbitro Sandro Meira Ricci não entendeu que foi pênalti.

- Vi que a bola resvalou em mim, mas nem sei onde.  Foi sem intenção alguma - justificou o lateral vascaíno.

Logo depois, Paulinho teve a chance dentro da pequena área, mas, com o gol aberto, desviou para fora. Por último, quando estava melhor no jogo, o time permitiu um contragolpe mortal dos anfitriões. Eder Luis fez ótima jogada no meio e acionou Fagner. Ele esperou a saída de Julio César e tocou por cima para fazer o segundo gol.

O Corinthians passou a ter um incentivo a mais para buscar o empate. Durante o intervalo, cerca de 30 ônibus com as torcidas organizadas chegaram ao estádio. Mas o time não conseguiu se impor.

O Vasco trocou Elton por Alecsandro e Juninho por Allan. Sumido no primeiro tempo, Diego Souza fez a primeira boa jogada no duelo aos 13. Ele girou na ponta direita, entrou na área e finalizou cruzado. Julio César socou para frente. A soberania de Dedé nas bolas aéreas teve novo capítulo pouco depois. Mas desta vez a cabeçada passou rente à trave.

A iminência do terceiro gol despertou o Corinthians. Alex bateu falta lateral e Paulinho, livre, não alcançou. Pouco depois, aos 23, Danilo recebeu cruzamento de Willian e cabeceou no canto direito para empatar.

O mesmo Danilo teve chance semelhante da virada após outro belo cruzamento de Willian. A bola, desta vez, passou rente à trave esquerda.

As chances se multiplicaram. O Vasco chegou a celebrar a o terceiro gol em desvio de Alecsandro. Contudo, o auxiliar Altemir Hausmann assinalou impedimento corretamente. Na continuação, Danilo obrigou Fernando Prass a fazer excelente defesa. Willian também teve sua chance, mas bateu por cima.

Já curtiu o SuperVasco no Facebook hoje?

29 de setembro de 2011

Com três vascaínos, Seleção bate Argentina e leva Copa Rocca

Vascaínos tiveram boa atuação em Belém

O público de Belém merecia uma boa vitória da Seleção. Desde que a delegação chegou na cidade, os torcedores não pararam de incentivar e fazer festa para os jogadores. E a resposta veio na noite desta quarta-feira. Por 2 a 0, o Brasil venceu a Argentina e ficou com o título do Superclássico das Américas.

Desde o início, o Brasil mostrou que em casa quem manda é a nossa Seleção. Com mais posse de bola, chegou várias vezes até a área dos argentinos. No entanto, o gol não saiu e a Seleção do técnico Mano Menezes foi para o intervalo com 0 a 0 no placar.

Mas no segundo tempo não foram precisos nem 10 minutos de jogo para sair o primeiro do Brasil. Lucas deu uma arrancada de 85 metros, recebeu um passe milimétrico do lateral-direito Danilo, deixou o zagueiro para trás e tocou na saída do goleiro. Foi o primeiro gol do jogador com a camisa da Seleção Principal.

Quinze minutos após marcar o gol, Lucas foi substituído por Diego Souza. E o substituto logo participou do segundo gol brasileiro. Bruno Cortês roubou a bola, arrancou, deu belo passe para Diego, que de primeira achou Neymar entrando na área. 2 a 0 Brasil e atuação para deixar o público do Estádio Mangueirão entusiasmado.

O Brasil levou a taça de campeão do Superclássico das Américas. Confronto que volta a acontecer no ano que vem e depois por mais seis anos.

Os próximos compromissos da Seleção são contra a Costa Rica, no dia 7, em San Jose, e contra o México, no dia 11, em Torreón.

Brasil: Jéferson, Danilo, Dedé, Rever e Cortez (Kléber); Ralf, Romulo, Lucas (Diego Souza) e Ronaldinho; Neymar e Borges (Fred).
Já curtiu o SuperVasco no Facebook hoje?
Fonte: CBF News

26 de setembro de 2011

Rodrigo Caetano desmente saída de Diego Souza do Vasco

Diego Souza continua no Vasco, garante Rodrigo Caetano

No começo da noite deste segunda-feira, surgiu uma notícia dando conta de um interesse do Bayer Leverkusen, da Alemanha, pelo meia Diego Souza, do Vasco.

Procurado pela equipe de reportagem do SuperVasco, Rodrigo Caetano, diretor-executivo de futebol do Vasco, tratou de tranquilizar os vascaínos quanto à saída do jogador da Colina Histórica:

"É só um jogador do Vasco se destacar que já o colocam em outro clube??!! É assim com o Dedé, agora o Diego! Ele tem contrato conosco até 2015!! Temos que nos preocupar com o campeonato!", declarou, iritado (mas sempre solícito com o SuperVasco), o dirigente.

A irritação procede, pois Dedé deve entrar para o Guiness Book como o jogador que mais negou a saída de um clube em todos os tempos.Já curtiu o SuperVasco no Facebook hoje?
Fonte: SUPERVASCO.COM - Respeite os créditos » Editada por Marcelo Coelho

25 de setembro de 2011

Diego Showza 3 x 0 Cruzeiro, Vasco líder: Sem comentários!

Camisa 10 faz os três gols da vitória cruz-maltina em Sete Lagoas, e o Vasco abre dois pontos para o Corinthians na liderança do Brasileirão..

Diego Souza desequilibrou mais uma vez. Neste domingo, o meio-campista deu um show e fez todos os gols na vitória por 3 a 0 sobre o Cruzeiro, que manteve o Vasco na liderança do Campeonato Brasileiro.

Clique aqui e curta a foto de Diego Showza no FaceBook do SuperVasco

Com o resultado, o Vasco chegou a 49 pontos, dois de diferença para Botafogo e Corinthians, que somam 47.

Volte em instantes para mais informações.Já curtiu o SuperVasco no Facebook hoje?
Diego Souza está em fase iluminada. Com mais uma bela atuação, na tarde deste domingo em Sete Lagoas, o camisa 10 do Vasco comandou a vitória sobre o Cruzeiro por 3 a 0, marcando nada menos que os três gols. O último, uma pintura com direito a lençol no goleiro Fábio. Foi a primeira vez na carreira que o meia balançou a rede em três oportunidades em uma mesma partida.
Com a vitória, o time carioca pode adaptar uma nova versão da música "Ai se eu te pego", de Michel Teló, usada por Diego Souza para comemorar um dos gols da vitória. Com o empate entre Botafogo e São Paulo, no Engenhão, a fase está mais para "Ai você não me pega"... O Vasco segue na liderança isolada no Brasileirão com 49 pontos, agora dois na frente do Corinthians - que venceu o Bahia - e roubou a segunda posição do Tricolor. Agora, mesmo que o Alvinegro carioca vença o jogo adiado contra o Santos, o time cruz-maltino segue na liderança do campeonato, já que abriu quatro pontos de diferença na classificação.
O Cruzeiro, que saiu de campo vaiado pela torcida, segue em crise. Com 29 pontos, está cada vez mais perto da zona de rebaixamento - são quatro pontos de vantagem sobre o rival Atlético-MG, time que encabeça a zona perigosa.
Na próxima rodada, o Cruzeiro enfrenta o Grêmio, domingo, fora de casa. Já o Vasco faz um jogo importante contra o Corinthians na briga pela liderança, em São Januário. No primeiro turno, o time paulista venceu por 2 a 1, no jogo que marcou a estreia de Juninho Pernambucano.
Diego Souza abre o placar em linda jogada
Em situação difícil na classificação e pressionado pela torcida, que no sábado protestou na Toca da Raposa II por melhores resultados no Brasileirão, o Cruzeiro começou a partida em cima do Vasco. Com Montillo aberto pela esquerda e Vitor aparecendo bem nas subidas pela direita, foram duas chegadas perigosas nos primeiros minutos. O time carioca sentia muito a falta de Eder Luis, vetado com um problema muscular. Sem velocidade para sair no contra-ataque, o Vasco foi obrigado a mudar sua principal característica tática. Mas liderada por Juninho Pernambucano, a equipe passou a atacar trocando passes rápidos e curtos.
Com 15 minutos de bola rolando, o Vasco equilibrou a partida. E começou a chegar até com mais perigo ao ataque. O time carioca arriscava mais chutes também. Era abrir um buraco para  Fellipe Bastos e Juninho soltarem a bomba. Foram 12 finalizações cruz-maltinas no primeiro tempo contra apenas seis do Cruzeiro. Diego Souza foi responsável por quatro delas.
Dos pés do camisa 10 vieram as melhores chances cariocas. Primeiro, em um passe primoroso para Márcio Careca, que entrou livre na área, mas chutou em cima do goleiro. Depois, em uma bicicleta que acertou o travessão. De cabeça, obrigou Fábio a uma defesa elástica. Mas aos 39 minutos, em uma linda jogada, Diego Souza finalmente conseguiu abrir o placar para o Vasco em um chute rasteiro. Na comemoração, uma dança que precisa de mais ensaio. Mas valeu pela animação. Sem muito jogo de cintura, o meia tentou alguns passos da música "Ai se eu te pego", de Michel Teló, acompanhado por Elton.
Com a vantagem do Vasco, a torcida do Cruzeiro começou a protestar. Porém, o time carioca marcava bem. Foram dez roubadas de bola contra apenas duas da Raposa nos primeiros 45 minutos. Os mineiros se resumiram a alguns lampejos de Roger. Pouco. O árbitro Fabrício Neves Corrêa anulou corretamente um gol do meia, que também perdeu uma ótima oportunidade de cabeça.
Golaço para fechar a vitória
Veio o segundo tempo, e o Vasco passou a jogar com a inteligência. Com um desesperado e desorganizado Cruzeiro tentando o empate no abafa, o time carioca tinha o controle da partida. Não demorou para Diego Souza, novamente, marcar o segundo gol carioca. Fagner surgiu pela direita e cruzou para o camisa 10 tocar de pé esquerdo.
Com o 2 a 0, a torcida do Cruzeiro passou a vaiar o time. E a gritar olé quando o Vasco tocava a bola. Até mesmo Montillo, um dos destaques do Brasileirão, estava mal. Deu uma furada memorável na entrada da área. Lance raro de se ver em um jogador da categoria do argentino.
A situação piorou ainda mais quando, aos 30 minutos, Marquinhos Paraná fez falta em Diego Souza para impedir o terceiro gol vascaíno. Como era o último homem, acabou expulso. O jogo estava resolvido, mas o camisa 10 queria mais. E fez um golaço. Passe de Juninho Pernambucano, lençol em Fábio e toque de cabeça para o gol vazio. Fase iluminada. Com direito a pedido de música no Fantástico.
 

 

 

Vasco encara abalado Cruzeiro para segurar liderança


Líder do Campeonato Brasileiro com 46 pontos, o Vasco tenta se manter no posto neste domingo, quando visita o às 16...
Líder do Campeonato Brasileiro com 46 pontos, o Vasco tenta se manter no posto neste domingo, quando visita o Cruzeiro às 16 horas (de Brasília) na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG), em confronto válido pela 26ª rodada da competição. O Cruz-maltino quer ainda mostrar que o empate por 1 a 1, em casa, contra o Atlético-GO, não passou de um acidente na caminhada rumo ao título.
Já a Raposa tem planos bem mais modestos. Sem vencer há seis jogos e tendo sido derrotado pelo Coritiba por 2 a 1 no meio de semana, o time mineiro, com 29 pontos, flerta perigosamente com a zona de rebaixamento. Um novo tropeço vai gerar a demissão do técnico Emerson Ávila, que por muito pouco não foi dispensado após o revés contra os paranaenses. De estímulo para os cruzeirenses apenas a vitória sobre os vascaínos no primeiro turno: 3 a 0.
A situação vivida pelo Cruzeiro não parece deixar os vascaínos animados. Os jogadores do time carioca entendem que o confronto em Minas Gerais será muito complicado justamente pela obrigatoriedade de vitória dos mineiros.
"O Cruzeiro tem um elenco de qualidade e um time que poderia estar em uma situação muito melhor na tabela de classificação. A posição de nosso adversário não nos ilude de maneira alguma. Temos plenas condições de deixar Minas Gerais com uma vitória, mas o primeiro passo para alcançarmos esse objetivo é entendermos as dificuldades que vamos encontrar", disse o goleiro Fernando Prass.
Realmente o Vasco tem motivos para esperar um jogo complicado, pois a Raposa espera tirar proveito do fator campo para voltar a sorrir na competição.
"Nosso objetivo é que neste jogo o Cruzeiro seja aquele time que se espera, sempre vibrante e jogando de maneira ofensiva, em busca do gol. Temos mais uma partida em nossa casa e a oportunidade de conquistarmos três pontos que se tornaram mais do que importantes. Empenho não vai faltar na luta por esse objetivo", explicou o goleiro Fábio. Se recuperação é a palavra de ordem na Toca da Raposa, em São Januário os vascaínos também querem apagar a má imagem deixada no empate com o Atlético-GO.
"A partida contra o Atlético-GO faz parte do passado e o nosso foco está todo neste difícil compromisso diante do Cruzeiro. Apesar das dificuldades que nos esperam, temos que encarar este duelo como uma grande oportunidade de recuperarmos como visitantes os pontos perdidos dentro de São Januário", disse o técnico Cristóvão Borges.
Cristóvão, por sinal, não definiu a formação que vai mandar a campo. O lateral direito Fagner, com dores no quadril, e o atacante Eder Luis, com uma lesão na parte posterior da coxa esquerda, são dúvidas para o confronto. Caso sejam vetados, Allan jogará improvisado na lateral direita, enquanto que no ataque, Leandro surge como opção. Isso porque Bernardo, que seria o substituto natural de Eder Luis, não pode atuar por questões contratuais, pois seus direitos federativos pertencem ao Cruzeiro. A boa notícia fica por conta do retorno do zagueiro Dedé, que cumpriu suspensão contra o Dragão e volta na vaga de Victor Ramos.
Vivendo um momento complicado no Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro terá um desafio complicado para conseguir a reabilitação. O time celeste defenderá neste duelo, uma invencibilidade de cinco anos sem perder os cariocas. O último revés ocorreu em 2006, vitória dos vascaínos por 1 a 0, de lá para cá foram oito jogos, com sete triunfos e um empate.
Como se não bastasse, a sequência de resultados ruins, o técnico Emerson Ávila, que ainda não venceu no comando do Cruzeiro e está ameaçado no cargo, terá vários desfalques para escalar a Raposa. Os principais problemas são no setor defensivo, com as ausências de Léo, que levou o terceiro cartão amarelo e Naldo, que com um edema na coxa direita também fica de fora.
Sem Léo e Naldo, Cribari deve formar a dupla de zaga do Cruzeiro com Victorino neste domingo. Ele disputou apenas um jogo pelo time celeste. Cribari foi titular na derrota para o Figueirense, por 4 a 2, em Ipatinga, na 20ª rodada do Campeonato Brasileiro.
Outro desfalque certo é o volante Leandro Guerreiro, que sente dores no joelho direito. O jogador se lesionou durante a derrota do Cruzeiro para o Coritiba, por 2 a 1, e deve ser substituindo por Charles. Já o paraguaio Ortigoza, sofreu estiramento muscular grau 1 na coxa direita e também fica de fora. Diego Renan e Wellington Paulista também são desfalques da Raposa.

23 de setembro de 2011

Cristovão admite frustração por empate com Atlético-GO

Cristovão assumiu o Vasco após Ricardo Gomes sofrer um AVC 

Técnico disse que jogo era uma boa oportunidade para abrir diferença de três pontos para o São Paulo, vice-líder do Brasileiro

© 1997-2011 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!
Mesmo após empatar por 1 a 1 com o Atlético-GO na última quinta-feira, em São Januário, o Vasco reassumiu a liderança do Campeonato Brasileiro. Depois do tropeço, o auxiliar técnico cruz-maltino Cristovão Borges, admitiu que ficou frustrado com o resultado.
- Fica aquela sensação de frustração. Era uma boa oportunidade de colocarmos três pontos na frente do São Paulo (vice-líder com 45 pontos). Planejamos e lutamos durante a semana para conquistar essa vantagem, então fica esse sentimento. Mas, amanhã (sexta) a calma volta e nós repensamos os objetivos - disse.
Ao final da partida os jogadores reclamaram bastante da arbitragem de Evandro Rogério Roman. O juiz ignorou a cera dos atletas goianos e deu apenas dois minutos de acréscimo no segundo tempo. Cristovao prefere manter o foco no time e deixar que a diretoria tome providências quanto ao caso, se necessário.
- Temos que manter o foco no que podemos fazer. Reclamar de tudo pode ser perigoso para nós. Claro que ficamos insatisfeitos. Temos que continuar focados no que precisamos e, também, melhorar a performance dento de campo.
TAGS

Leia mais no LANCENET! http://www.lancenet.com.br/vasco/Cristovao-admite-frustracao-empate-Atletico-GO_0_559744084.html#ixzz1YooxL8gV
© 1997-2011 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

17 de setembro de 2011

VASCO 4 X 0 GREMIO


Com 10 volantes, Vasco goleia o Grêmio e dorme líder: 4 x 0

O Vasco teve uma atuação digna de líder neste sábado e, pela segunda vez neste Campeonato Brasileiro, ocupa a primeira colocação da tabela. Jogando em São Januário, o Cruz-Maltino goleou o Grêmio por 4 a 0, em noite de grande atuação de Diego Souza. O meia fez um gol e participou de outros dois, marcados por Eder Luis e Fagner. Élton anotou o outro gol vascaíno na partida, válida pela 24ª rodada.

Com o resultado, o Vasco chegou a 45 pontos, um a mais que o São Paulo, que também neste sábado derrotou o Ceará por 4 a 0. Com 43 pontos aparece o Corinthians, que joga neste domingo contra o Santos e pode retomar a ponta. A última vez que o Vasco havia assumido a liderança tinha sido na segunda rodada.

O Grêmio, por sua vez, teve freada sua arrancada. O time vinha de três vitórias seguidas e estacionou nos 30 pontos, na 12ª colocação. O Imortal volta a campo na próxima quinta-feira, contra o Botafogo, no Olímpico. No mesmo dia, o Vasco recebe o Atlético-GO, em São Januário.

Vasco marca no início

Ainda sem Juninho, que viajou à França para resolver problemas particulares, o Vasco teve Fellipe Bastos formando o miolo do meio-campo, junto a Eduardo Costa e Rômulo. Eder Luis e Diego Souza jogaram abertos pelas pontas, com Elton de referência na área. No time do Grêmio, Rochemback e Fernando ficaram encarregados da marcação no meio. Douglas foi o homem de criação, com Marquinhos e Escudero atuando mais abertos. André Dias foi o centroavante.

Embalado pela torcida que esgotou os ingressos em São Januário (foram 16.014 pagantes, para uma renda de R$ 19.757,00), o Vasco começou em cima do Grêmio e só precisou de três minutos para abrir o placar. Eder Luis foi ao fundo pela direita e cruzou rasteiro para área. Elton se antecipou e desviou a bola no primeiro pau, sem chances para Victor.

O gol no início não desconcentrou a equipe gremista, que tentou empatar logo nos minutos seguintes. André Dias esteve perto de conseguir, em cabeçada aos oito minutos que saiu por pouco. Aos 10, Escudero foi lançado, entrou na área vascaína perseguido por Dedé e foi ao chão. A arbitragem entendeu que não houve infração e mandou o jogo seguir. Àquela altura, Dedé já tinha cartão amarelo (foi o terceiro, o zagueiro desfalca o Vasco na próxima rodada).

Diego Souza comanda o show

Aos poucos, o ímpeto do Grêmio diminuiu. O Vasco controlou melhor as ações e o jogo ficou com poucos lances de perigo. A partir dos 25, com a subida de produção de Diego Souza, o Vasco voltou a dar as cartas. Aos 30, o time esteve perto de ampliar sua vantagem, mas Elton concluiu mal. Aos 33, entretanto, a não houve perdão. Fellipe Bastos fez lançamento para Diego Souza, que deu lindo drible em Edcarlos antes de fuzilar Victor: 2 a 0.

No segundo tempo, o Vasco repetiu o expediente do primeiro. O time partiu para cima nos minutos iniciais e não demorou a achar o caminho do gol. Aos 3 minutos, Diego Souza fez belo lançamento para Fagner, livre na ponta direita. O lateral dominou com estilo e cruzou na medida para Eder Luis escorar para a rede.

O técnico Celso Roth ainda tentou dar novo gás ao time do Grêmio, ao promover as entradas de Adilson e Leandro (saíram Douglas e Escudero). Pouco adiantou. Com Diego Souza inspirado, foi o Vasco quem voltou a marcar. Aos 16, o camisa 10 recebeu bola na área de Fagner, protegeu e devolveu limpa para o lateral, que bateu firme e fez o quarto gol vascaíno.

Ainda faltava quase meia hora para o fim do jogo, mas o clima de festa tomou conta da Colina Histórica. Até o técnico Cristóvão Borges, que está no cargo por conta do problema de saúde de Ricardo Gomes, teve o nome gritado. Por outro lado, o Grêmio tratou de se cuidar para não levar mais gols. À beira do campo, o técnico Celso Roth gritava "não tem mais jogo, não tem mais jogo" a seus jogadores.

O ritmo, de fato, caiu. O Vasco tratou de trocar passes e, vez por outra, tentar uma jogada de ataque. No Grêmio, Roth ainda lançou Gabriel no lugar de Fernando, mas o time não conseguiu criar nada muito relevante. A partir dos 30, Cristóvão também tratou de movimentar suas peças. Bernardo entrou no lugar de Elton, depois foi a vez de Leandro substituiu Eder Luis. Por fim, Diego Souza saiu muito aplaudido para a entrada de Allan. Festa completa em São Januário.
Fonte: GloboEsporte.com

11 de setembro de 2011

Garfado, Vasco empata com o Figueirense em Florianópolis: 1 x 1


Cariocas jogam fora nova chance de alcançar a liderança do Brasileirão e reclamam da arbitragem, que anulou gols de Elton e Diego Souza.

O Vasco da Gama empatou por 1 a 1 com o Figueirense, em jogo válido pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o clube carioca perdeu a chance de assumir a liderança, mas passou o São Paulo momentaneamente, já que este ainda jogará contra o Grêmio neste domingo.

Jogando em casa, o Figueirense partiu para cima do clube carioca, visando acabar com a sequência de dois jogos sem vitória. Explorando a improvisação do volante Jumar na lateral esquerda, Jorginho pediu para Wellington Nei cair por aquele lado.

Logo aos 4min a pressão deu certo. Elias cobrou falta, a zaga afastou mal e Weelington Nei, livre, empurrou para o fundo das redes, marcando seu quinto gol na competição.

O Vasco teve sua primeira chance aos 13min. O lateral Fágner cruzou e o defensor Roger Carvalho desviou, exigindo uma bela defesa de Wilson para impedir o gol contra. Três minutos depois novamente Fágner subiu ao ataque e chutou cruzado. A bola entrou direto e colocou a igualdade no placar.

O ímpeto dos dois times diminuiu com o decorrer do primeiro tempo. Em lances polêmicos, o bandeirinha Altemir Hausmann (RS) anulou dois gols do Vasco, feitos por Élton e Diego Souza.

No segundo tempo a marcação dos dois times fez o jogo esfriar. A cobertura no lado esquerdo da defesa do Vasco foi arrumada e os meias do Figueirense pouco criaram. Com a proximidade do fim, o Vasco se lançou ao ataque e Diego Souza, sozinho na cara do gol aos 46min da etapa complementar, chutou em cima de Wilson, perdendo a chance clara.

Com o resultado, o Vasco da Gama foi para 42 pontos e assumiu a segunda colocação. Já o Figueirense, a três jogos sem ganhar, caiu para a décima colocação. Ficha técnica

FIGUEIRENSE 1 x 1 VASCO

Gols
FIGUEIRENSE:
Wellington Nei aos 4min do primeiro tempo VASCO:
Fágner, aos 14min do primeiro tempo

FIGUEIRENSE: Wilson, Bruno (Pablo), Roger Carvalho, Edson Silva e Juninho; Túlio (Jônatas), Wilson Pittoni, Ygor e Elias (Fernandes); Wellington Nem e Somália
Treinador: Jorginho

VASCO: Prass, Fagner, Dedé, Victor Ramos e Jumar (Diego Rosa); Romulo, Fellipe Bastos, Allan e Diego Souza; Eder Luis e Elton (Kim)
Treinador: Cristóvão Borges

Cartões amarelos
FIGUEIRENSE: Ygor, Pittoni e Juninho
VASCO: Jumar, Dedé, Fágner e Fellipe Bastos

Vasco bate o São Paulo na final, leva o título e mantém o Brasileiro no Rio

Equipe cruz-maltina faz 9 a 7 no tricolor paulista com três gols de Pedrinho e herda título que tinha sido do Flamengo nos últimas duas temporadas.

O Brasileiro de Showbol segue no Rio de Janeiro. Depois de dois títulos do Flamengo, o Vasco chegou à primeira conquista, neste domingo, ao derrotar o São Paulo por 9 a 7, em Mangaratiba. O time de São Januário somou cinco vitórias em cinco partidas.
- Esse trem-bala é um pouco mais devagar, está todo mundo coroa. Ganhamos dois títulos: ontem, do Flamengo, e hoje - comemorou Pedrinho, o principal nome do time cruz-maltino, que fez três gols na decisão.
No sábado, ao eliminar o Flamengo por 6 a 5, na semifinal, o Vasco quebrou escrita de duas derrotas nessa fase para o rubro-negro - tinham sido nos Cariocas de 2010 e deste ano.
Com poucos segundos, Fabrício Carvalho acertou drible em Cláudio e abriu o marcador para o Vasco: 1 a 0. Os 2 a 0 vieram com os pés de Zada, em desvio do Ivan Rocha, após jogada de Pedrinho pela direita.
Numa bobeada do goleiro Azul, que errou a saída de bola e deixou a bola nos pés de Juninho Paulista, o próprio marcou para o tricolor: 2 a 1.
Pedrinho passou por dois adversários e chutou cruzado por baixo do goleiro Maizena, abrindo 3 a 1 para o Vasco.
O São Paulo voltou a encostar com Amoroso - artilheiro do Brasileiro, agora com 22 gols - aproveitando-se de lance em que a bola tinha batido duas vezes na trave cruz-maltina: 3 a 2. Amoroso foi comemorar com parte da torcida do Flamengo que estava acompanhando a partida.
Logo em seguida, o mesmo Amoroso alcançou seu 23º na competição e deixou tudo igual na decisão: 3 a 3. A comemoração, agor,a teve a dancinha do "É Gol!!!"
Os paulistas viraram com Alexandre, após Azul parcialmente ter amortecido a bola.
- Num minuto de desatenção, os caras aproveitaram e viraram - lamentou o vascaíno Zada.
Para o tricolor Rogério Pinheiro, sua equipe começou devagar.
- No decorrer do jogo, conseguimos encontrar nosso rumo.
Rodada Resultado
1ª rodada Vasco 10 x 9 Palmeiras
2ª rodada Vasco 8 x 5 Grêmio
3ª rodada Vasco 6 x 3 Fluminense
Semifinal Vasco 6 x 5 Flamengo
Final Vasco 9 x 7 São Paulo
 Na volta do intervalo, de novo em poucos segundos, o Vasco fez gol, desta vez com Pedrinho, igualando a final em 4 a 4.
Num pênalti, Amoroso, com seu 24º gol no Brasileiro, pôs o São Paulo à frente: 5 a 4.
Se Amoroso tinha feito o terceiro gol na final, Pedrinho repetiu a dose e, com seu terceiro tento, igualou o jogo derradeiro em 5 a 5.
Na partida das reviravoltas, os cruz-maltinos assumiram a dianteira após o gol de Zada (6 a 5).
Maricá - que estreou no time vascaíno no sábado, na semifinal - deixou o time de São Januário com dois gols de frente (7 a 5) a 13 minutos do fim.
Até então com o pé "descalibrado", isolando a maioria das bolas, Alex Pinho, enfim, acertou e marcou 8 a 5 para o Vasco.
Mas Juninho Paulista aproveitou outro vacilo do goleiro Azul, que tentou sair jogando com os pés, para descontar: 8 a 6.
Coube a Alex Pinho, pela segunda vez, acertar o chute decisivo e deixar o Vasco com três gols de vantagem (9 a 6).
A três minutos do fim, Cláudio, livre, descontou para os paulistas: 9 a 7.
Vasco: Azul, Leonardo, Alex Pinho, Pedrinho, Fabrício Carvalho e Zada. Entraram Maricá, Sorato.
São Paulo: Maizena, Wilson, Ivan Rocha, Amoroso, Claudio e Juninho Paulista. Entraram Elivélton, Alexandre, Rogério Pinheiro.

 

De olho na liderança, Vasco encara o Figueirense em Florianópolis

Florianópolis, SC, 10 (AFI) – Mais uma vez o Vasco da Gama entrará em campo visando a liderança do Brasileirão. Se nas últimas rodadas não teve sucesso, a nova chance surge neste domingo, às 16 horas, no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, pela 22ª rodada da competição. Acompanhe tudo do Brasileirão no Portal Futebol Interior e os resultados em tempo real no melhor Placar Ao Vivo da internet.

Na última rodada da competição o Vasco da Gama conseguiu se recuperar da derrota para o América-MG - perdeu por 4 a 0, em Sete Lagoas -, e venceu o Coritiba, na reedição da Copa do Brasil, por 2 a 0. Com o resultado, o Gigante da Colina chegou aos 41 pontos, pegou o elevador e assumiu a terceira posição na classificação. Em compensação, o Figueirense foi à Goiânia e parou o embalado Atlético-GO com um empate por 1 a 1. Com mais este ponto, os catarinense chegaram a 30 e aparecem em nono lugar.

No primeiro turno do Brasileirão, jogando em São Januário, no Rio de Janeiro, Vasco e Figueirense ficaram num empate por 1 a 1. Na ocasião, com gols de Élton, o Vascão assumia a quinta posição, com sete pontos. Já o gol do Figueirense, que saiu somente no final do jogo, foi aos mesmos sete pontos, só que aparecendo de surpresa na terceira posição.

Olha a surpresa!

Para surpreender e acima de tudo, conquistar três pontos importantes para suas pretensões no Brasileirão, o técnico Jorginho Campos não deverá mudar muito o time que empatou por 1 a 1 com o Atlético-GO. Apesar deste ponto fora, ele deve ter gostado do que viu de seus jogadores e mantém boa parte da escalação passada; Fernandes e Somália estão no setor ofensivo e são os responsáveis em balançar as redes. Outros, serão poupados devido ao desgaste físico e a sequência de jogos.

“Estou pensando na possibilidade de poupar alguns jogadores. Acho mais interessante perder um atleta por um jogo do que ficar cinco sem poder escalá-lo”, disse o treinador, ainda otimista contra o seu ex-clube.

Vasco muda!

Para o jogo de Florianópolis, Cristovão Borges, técnico interino e que está substituindo Ricardo Gomes devido ao AVC (Acidente Vascular Cerebral) que sofreu no clássico diante do Flamengo, terá que “quebrar” a cabeça para escalar o time. Tudo isso porque Eduardo Costa está suspenso e Julinho, lateral-direito, não pode jogar devido a uma cláusula em seu contrato. Fora isso, não jogam Max, Cesinha e Nilton, ambos contundidos.

“Agora é um jogo fora de casa, o Figueirense pressiona muito, vamos estudá-los ainda. Cada partida exige um estilo de jogo de todos os setores. Já tenho uma noção mais rápida de como tudo vai acontecer, conheço os adversários. Vamos conversar fora e dentro de campo para não errar”, disse o zagueiro Dedé.
Fonte: Futebol Interior

10 de setembro de 2011

Ricardo Gomes apresenta melhora e pode ter alta do CTI em 48h

Ricardo Gomes voltou a apresentar sinais de melhora neste sábado. Internado no Hospital Pasteur, no Rio de Janeiro, o técnico do Vasco deixou o leito do Centro de Tratamento Intensivo (CTI) por alguns minutos e sentou em uma poltrona para interagir com os familiares.

(Curta a página oficial do SuperVasco no Facebook e todas as notícias do Vasco)

Segundo o boletim médico, o paciente de 46 anos "apresenta progressiva melhora clínica e neurológica", com sessões regulares de fisioterapia motora e respiratória e de fonoaudiologia. A previsão é de que Ricardo Gomes receba alta do CTI nas próximas 48 horas.

Com uma recuperação acima da média, o treinador passou a respirar sem a ajuda de aparelhos na quinta-feira. Desde então, vem tem tendo melhora diária no seu nível de consciência. Já reconhece familiares e esboça palavras isoladas. "Podemos considerar que ele já passou do período de maior gravidade", afirmou o médico Fábio Guimarães Miranda na sexta-feira.

Os especialistas, contudo, evitam fazer previsões sobre possíveis sequelas do Acidente Vascular Encefálico (AVE) hemorrágico sofrido no dia 28 de agosto. "Ainda é cedo para avaliar o nível de melhora que ele terá na fala e no movimento, mas ele já está interagindo bem com a família e a equipe médica" comentou Guimarães Miranda.
Fonte: ESPN Brasil 

Técnico do Vasco já consegue ficar por mais tempo fora do leito, interagindo com médicos e profissionais sentado na poltrona

9 de setembro de 2011

Em São Januário, Vascão vence o Coritiba por 2 a 0

O Vasco derrotou na noite desta quinta-feira (08/09) a equipe do Coritiba pelo placar de 2 a 0, em São Januário. A partida foi válida pela 22ª rodada e os gols cruzmaltinos foram marcados por Juninho Pernambucano e Romulo. Com a vitória dentro de casa, o Gigante da Colina passa a somar 41 pontos e sobe para a terceira colocação da tabela.
O elenco vascaíno volta a campo no domingo (11), para enfrentar o Figueirense, às 16h, no Estádio Orlando Scarpelli, em Santa Catarina.

O jogo

Querendo confirmar a boa fase no Campeonato Brasileiro e apesar de estar jogando fora de casa, o Coritiba iniciou a partida pressionando a equipe do Vasco. Logo aos três minutos, após bola levantada na área por Tcheco, Fernando Prass fez uma excelente defesa. Dois minutos depois quem levou perigo foi Pereira, que subiu mais alto que toda defesa vascaína e mandou a bola para fora.
A equipe paranaense continuou melhor na partida e Rafinha, aos 13 minutos, arriscou da intermediária e colocou o camisa 1 cruzmaltino para trabalhar novamente. A pressão continuou e Tcheco, aos 18 minutos, cobrou falta e assustou. Recuado, o Vasco ensaiou uma reação aos 20 minutos, mas Juninho Pernambucano e Jumar não conseguiram colocar o goleiro do Coxa para trabalhar.

Aos 25 minutos foi a vez de Rafinha arriscar de intermediária e ver Fernando Prass realizar outra grande defesa. Se o goleiro cruzmaltino foi bem e evitou o gol da equipe paranaense, Vanderley nada pôde fazer quando Juninho Pernambucano, aos 29 minutos, cobrou falta com perfeição e balançou as redes de São Januário: VASCO 1 X 0.
O gol acordou a equipe vascaína, que quase ampliou o marcador em seguida com Eduardo Costa. Na oportunidade, o volante apareceu livre na entrada da grande área e mandou a bola para fora, perdendo uma grande chance. Quem também não conseguiu mudar o placar na primeira etapa foi Elton, que após roubar bola da defesa do Coxa, finalizou para fora.
O Vasco voltou do intervalo com a mesma equipe que terminou a etapa inicial, mas com uma postura completamente diferente. Diferentemente do início do primeiro tempo, o Gigante da Colina iniciou a segunda etapa pressionando. Juninho Pernambucano, em cobrança de escanteio, e Elton, de carrinho, tentaram, mas quem fez o segundo gol vascaíno na partida foi o volante Romulo, que aproveitou ótimo cruzamento do ‘Reizinho’ e mandou a bola para o fundo das redes: VASCO 2 X 0.
O cruzmaltino seguiu pressionado e aos 13 minutos foi a vez Elton, outra vez, desperdiçar uma grande oportunidade. Após receber ótimo passe de Fagner, o camisa 39 ficou cara a cara com Vanderley, mas errou o chute. A primeira chegada de perigo do Coritiba só aconteceu aos 17 minutos com Everton, que parou na ‘Muralha da Colina’.
A partir daí, a equipe coxa-branca passou a dominar a partida e a criar boas chances. Uma delas foi o chute de Marcos Aurélio, aos 23 minutos, defendido com tranqüilidade pelo goleiro vascaíno. Por falar na equipe da casa, ela quase ampliou o marcador no minuto seguinte com Eder Luis, que arriscou da intermediária e viu a bola tirar tinta da trave da equipe paranaense.
Quem também por pouco não fez o placar mudar novamente na Colina histórica foi Bill, que após receber ótimo passe de Everton acertou as redes pelo lado de fora. A equipe paranaense seguiu pressionando, mas em nenhum momento esteve perto de diminuir o placar.
VASCO: Fernando Prass, Fagner, Dedé, Renato Silva (Victor Ramos) e Jumar; Romulo, Eduardo Costa, Juninho Pernambucano e Diego Souza (Bernardo); Eder Luis e Elton. Técnico: Cristóvão Borges.